Evento em tributo a Drummond, feito no afogadilho, pode fracassar

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Lenin Novaes*

Acanhada, estreita, minguada. Assim avalio a postura da direção da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade sobre a proposta de realização do Concurso Nacional de Poesias Carlos Drummond de Andrade, lançada 11/9 sob o Edital 005/2017, no qual estabelece período de inscrição de 12/9 a 26/10 e premiação marcada para 31/10, com divulgação dos poemas selecionados no dia anterior, 30/10. Os prêmios são de R$ 2.000,00, R$ 1.500,00 e R$ 500,00, respectivamente, para os poemas em 1º, 2º e 3º lugar. O concurso se propõe nacional, com a participação de qualquer pessoa física, nacional ou estrangeira, sendo que os participantes menores de 18 anos terão que apresentar autorização escrita dos pais ou responsável.

A temática é “Drummond para sempre”, com a justificativa de homenagear e valorizar a memória do poeta Carlos Drummond de Andrade; descobrir e incentivar novos poetas; estimular a produção literária em âmbito regional e nacional; dar oportunidade aos poetas de divulgarem seus trabalhos; divulgar obras inéditas em língua portuguesa em publicação especial e no Sarau Poético na 16ª Semana Drummondiana e viabilizar a produção simbólica e diversidade cultural.

A comissão julgadora, que não tem ainda integrantes definidos – assim, como não são conhecidos os coordenadores do evento -, pasmem, terá apenas dois dias útil para escolher os poemas vencedores, dentre dezenas e dezenas de concorrentes, considerando a amplitude do concurso que abrange todo o território brasileiro e, também, candidatos estrangeiros.

Diz-se que “de boa intenção, o inferno está cheio”. Não sei, pois nunca estive lá. Mas, o dito popular, cabe na medida à direção da FCCDA que, no afogadilho, intenciona preencher espaço vazio dentro das atividades 30 anos sem o poeta. Por certo, o evento está fadado ao fracasso. Creio que é o que dirão sobre o assunto àqueles que consideram que Itabira não tem condições de ostentar o título de Capital Nacional da Poesia.

Como o item 8.6 do edital prevê que o concurso poderá ser alterado ou suspenso ou cancelado a qualquer tempo pela FCCDA, mediante interesse público fundamentado, sugiro à direção da instituição que a proposta seja reestruturada, enquanto ainda é tempo, para que o tributo ao poeta Carlos Drummond de Andrade, efetivamente, alcance seus objetivos. Se for preciso proponho abaixo-assinado.

Exponho, a propósito, como estímulo à precaução, ao bom senso, soneto feito numa das visitas (são tantas) a Itabira, ano passado.

Pico do amor 

Da janela, à esquerda, avisto o Pico do Amor,

Destacando-se a cruz de madeira moribunda,

Esfarrapada; nenhum sentido de ali se expor,

Num penhasco sem flores, liso como a bunda.

 

Ainda ontem lá estive: o descaso causou furor,

Ao legado que deixas-te de maneira profunda

A Itabira, berço natal que desdenha teu valor,

Como cravando teus versos numa cova funda.

 

Ah, poeta, que gente institucional Itabira tem,

Da picuinha e mazela não consegue ver além,

A sede e a fome cultural estampadas no povo.

 

Se possível for de outra dimensão vir de novo,

Cuida que a ternura abrolhe na forma de ovo,

Expurgando políticos, que assim seja, amém!

 

*Lenin Novaes é jornalista

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Pingback: Vapt vupt no concurso de poesia que a FCCDA deve prestar contas

Deixe um comentário