Especialista explica sintomas da dengue, zika e chikungunya

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

O Brasil está em alerta para as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A dengue, por exemplo, já afeta a vida de milhares de brasileiros. Dados do Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde apontam 94 mil casos prováveis da doença, registrados no período entre 29 de dezembro do ano passado a 1º de fevereiro de 2020.

Por isso, é preciso que a população adote medidas de prevenção ao mosquito. Além disso, as autoridades de saúde recomendam que, em caso de algum sintoma da dengue, Zika e chikungunya, a pessoa deve procurar imediatamente um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados

Segundo o Ministério da Saúde, a dengue causa febre alta súbita, dor de cabeça e dor no corpo e articulações, náuseas e vômitos. Também podem haver manchas vermelhas no corpo e coceira.

Esses sintomas se confundem com os da chikungunya, que tem as dores intensas nas articulações como a característica mais marcante. Quem explica mais é o sanitarista da Fiocruz de Brasília, Cláudio Maierovitch.

“No caso de chikungunya, está mais relacionada às dores nas articulações. A pessoa que tem a doença tem dificuldade de se levantar, de andar. Há uma outra diferença entre dengue e chikungunya: esta pode durar mais tempo que a dengue, durando de um mês até anos.”

Já a Zika, ainda segundo o médico, se manifesta pela febre não muito alta, dor de cabeça, dor nas articulações, manchas vermelhas no corpo com coceira, vermelhidão nos olhos e cansaço.

“A Zika pode durar menos tempo, também podendo ter dores nas articulações do corpo, porém muito menor do que no caso de dengue ou de chikungunya.”

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família.

Arte: Ítalo Novais/Sabrine Cruz

Da Agência do Rádio, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 12/03/2020

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário