Emergência Climática: crianças devem suportar na saúde os efeitos negativos da mudança climática  

0
Compartilhe.

Os efeitos sombrios que a mudança climática terá sobre os resultados da saúde pediátrica foram o foco de um artigo do “Viewpoint”, publicado no Journal of Clinical Investigation, por Susan E. Pacheco, MD, especialista no Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas em Houston ( UTHealth )

Pacheco, professora associada de pediatria da McGovern Medical School da UTHealth, juntamente com professores da Johns Hopkins Medicine e da George Washington University, escreveu uma série de artigos que detalham como o aumento da temperatura devido às mudanças climáticas afetará negativamente a saúde da humanidade. No artigo de autoria de Pacheco, ela mostra os efeitos surpreendentes que a crise tem na saúde das crianças antes mesmo de elas nascerem.

Pacheco aponta para uma pesquisa publicada pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, que destaca várias maneiras pelas quais os seres humanos experimentam efeitos adversos à saúde decorrentes das mudanças climáticas, como aumento da mortalidade e morbidade devido a ondas de calor e incêndios, aumento do risco de doenças transmitidas por alimentos e pela água e desnutrição devido à escassez de alimentos.

Onda de calor na Europa, junho de 2019Essas experiências negativas trazem consigo traumas psicológicos e problemas de saúde mental que podem afetar as crianças e seus cuidadores.

Pacheco escreveu que, depois do furacão Maria em 2017, muitos adultos em Porto Rico experimentaram transtorno de estresse pós-traumático, depressão e ansiedade por semanas e meses sem acesso a itens como água potável, eletricidade e cuidados médicos básicos.

“Alguns não foram capazes de atender às demandas físicas e emocionais que esse desastre impôs a seus filhos”, escreveu Pacheco.

Os efeitos negativos à saúde infligidos pela crise climática podem começar enquanto a criança ainda está no útero, devido ao estresse materno, má nutrição, exposição à poluição do ar e exposição a eventos climáticos extremos causados pelas mudanças climáticas.

Estudos de mulheres que sofreram grandes eventos de inundação durante a gravidez relataram uma associação com resultados como parto prematuro e baixo peso ao nascer. Pacheco escreveu que as mulheres grávidas expostas às mudanças climáticas sofrem de estresse, doenças respiratórias, má nutrição, aumento de infecções, doenças associadas ao calor e pobreza.

“Continuaremos a ver um aumento nas condições associadas ao calor em crianças, como asma, doença de Lyme, bem como um aumento nos defeitos cardíacos congênitos “, disse Pacheco.

Pacheco escreveu que o quadro pintado por pesquisas sobre mudanças climáticas é assustador e agora não é hora de indiferença. Na conclusão do artigo, ela escreveu que todos na comunidade médica devem refletir em nível pessoal sobre o que pode ser feito com o conhecimento que têm sobre as mudanças climáticas e seus efeitos negativos à saúde.

Referência:

Catastrophic effects of climate change on children’s health start before birth
Susan E. Pacheco
Published January 13, 2020
J Clin Invest. 2020. https://doi.org/10.1172/JCI135005.

* Com informações da University of Texas, Health Science Center at Houston (UTHealth)

** Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 28/01/2020

Emergência Climática: Crianças devem suportar na saúde os efeitos negativos da mudança climática, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 31/01/2020, https://www.ecodebate.com.br/2020/01/31/emergencia-climatica-criancas-devem-suportar-na-saude-os-efeitos-negativos-da-mudanca-climatica/.

Sobre o Autor

Deixe um comentário