Em protesto pela morte de Tiago, ciclistas pedem mais segurança no trânsito

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Uma campanha de conscientização no trânsito deve ser organizada em Itabira nos próximos dias pelos grupos organizados de ciclistas, e também de corredores de rua, que participaram de uma bikeata em protesto e solidariedade à família do psicólogo e ciclista Tiago Couto Bicalho, 37 anos, morto em um acidente com uma caminhonete, na manhã desse domingo (15/10), em frente a um radar, no bairro Chapada.

Leonardo Menezes propõe campanha de conscientização no trânsito e conclui: a morte de Tiago foi causada por imprudência do motorista (Fotos: Carlos Cruz)

“O acidente que matou Tiago foi ocasionado por uma falta de atenção e podia ser evitado”, protestou o empresário Leonardo Pinto Menezes, um dos organizadores da bikeata, que reuniu cerca de 100 ciclistas em frente à estação rodoviária, seguindo até o cemitério da Paz, onde o corpo do ciclista foi sepultado.

Tiago Bicalho, morto em acidente no bairro Chapada (foto do Facebook)

“Todos os ciclistas aqui reunidos têm história para contar de uma ‘fechada’ que levou no trânsito”, conta, relacionando os motoristas de empreiteiras da Vale como os mais imprudentes.

“Aqui (na concentração na rodoviária) não tem ciclista dando ‘peão’ e empinando bicicleta, que é usada para lazer ou treino. Temos ciclistas campeões mineiros em Itabira, de renome em Minas Gerais, todos conscientes e seguros no que fazem.”

Para o empresário, o respeito no trânsito é imprescindível para assegurar o direito fundamental à vida. Conforme ele salientou, o acidente desse domingo foi o segundo ocorrido em Itabira neste ano. O primeiro vitimou um ciclista no bairro Pedreira do Instituto.

Na campanha por mais segurança no trânsito, providências urgentes devem ser cobradas das autoridades municipais , assim como será pautada, como prioridade, a conscientização de todos que convivem no trânsito na cidade e nas rodovias.

Concentração para a bikeata na Rodoviária

“O momento é de muita emoção e dor. Mas é também de reflexão e de pedir urgentes mudanças para que todos possam ser respeitados e a vida preservada”, discursou Leonardo Menezes, pouco antes do início da bikeata.

Adesão

A proposta de desencadear a campanha de trânsito já ganhou adesão do tenente reformado da Polícia Militar Adilson de Sá, corredor de rua, participante do grupo Speed Fox.“São muitos os riscos que enfrentamos na cidade. Precisamos nos mobilizar para mudar esse quadro”, endossou o corredor de rua, em entrevista a este site, no velório de Tiago Bicalho.

Campanha para não haver outras mortes por imprudência

“Corredores de rua também são fechados por motoristas imprudentes e irresponsáveis”, disse ele, que se queixa também da falta de sinalização nas principais ruas e avenidas da cidade.

“Não há placas de velocidade e nem de aviso da presença de ciclistas e corredores. Encontramos muitos obstáculos que não deviam existir, como buracos nas ruas e nos passeios.”

Ele sugere que a conscientização deve ser dirigida também aos ciclistas, corredores e pedestres. “No trânsito, a concentração tem de ser total. Qualquer descuido pode ser fatal”, adverte.

Perda incomparável

Familiares e amigos no sepultamento de Tiago, no cemitério da Paz

Com muita emoção, familiares e amigos receberam os participantes da bikeata no cemitério da Paz. “Agradeço a homenagem que vocês estão fazendo ao meu filho”, reuniu forças para agradecer a empresária Kátia Couto, mãe de Tiago.

“Neste momento de muita dor, reconforta receber os amigos do meu filho, que viveu intensamente e esteve presente na vida de tantas pessoas.”

Joel Rodrigues Leite, ciclista há mais de 40 anos e amigo de Tiago, foi um dos primeiros a chegar no local do acidente, ontem, no bairro Chapada. E testemunha: “Tiago não gostava de velocidade, mas de passeios contemplativos. Ele era um motorista e ciclista prudente. Gostava de estar em contato com a natureza e de viver em liberdade”, disse ele. “Verifiquei em sua bike que o velocímetro registrava a velocidade de 22 quilômetros por hora.”

Os amigos Pit, Matheus e Joel estão inconformados com a grande perda

Paulo Henrique Vieira Andrade, o Pit, dentista e ciclista, também reforça a conduta prudente do amigo Tiago no trânsito. E endossa a crítica aos motoristas que não respeitam os ciclistas – e nem os pedestres.

“Muitos motoristas não conseguem entender que fazemos parte do trânsito, que temos a mesma dificuldade para parar a bicicleta assim como os outros veículos têm.”,

Pit reforça a necessidade de se manter a prudência, a direção preventiva e a distância mínima de 1,5 metro do ciclista. “No trânsito, o veículo maior tem que dar prioridade e proteger o menor, assim como todos devem respeitar o pedestre”,ensina.

O ciclista Matheus Novaes veio de São Gonçalo do Rio Abaixo para prestar homenagem ao amigo e participar da bikeata de protesto. “Tiago era um companheiro de bom astral. Éramos amigos e sei o quanto ele era consciente no trânsito. E de como gostava de pedalar”, testemunha.

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário