Dona Margarida faz 100 anos e é homenageada na Câmara pela sua vida dedicada aos mais vulneráveis socialmente

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Por meio da lei municipal 5.098, de 18 de março de 2019, a Câmara Municipal de Itabira decidiu que 2020 seria o Ano Municipal do Centenário de Margarida Silva Costa, nascida em Itabira, em 10 de junho de 1920.

“Trata-se de uma justa homenagem pela sua ação em favor dos menos favorecidos”, acentuou o vereador Heraldo Noronha (PTB), presidente da Câmara, durante a sessão em sua homenagem, nessa terça-feira (9).

Dona Margarida dedicou boa parte de seu tempo ao voluntariado, principalmente atuando na qualificação de jovens adolescentes no Conselho Municipal do Bem-Estar do Menor (Combem), que ela presidiu por muitos anos. Foi voluntária também na Pastoral do Menor, da Diocese de Itabira, e na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), de Itabira.

Viúva de Tomaz da Costa Filho, dessa união nasceram seis filhos. Dona Margarida foi a primeira mulher a ingressar no quadro de empregados da mineradora Vale, aos 25 anos, no primeiro dia de setembro de 1945.

Dedicação

A filha Rosa Márcia recebe a homenagem dos vereadores e da diretoria do Combem (Fotos: Carlos Cruz e acervo da família)

Em sua longa vida, ela sempre preferiu ensinar a pescar a dar o peixe. Foi assim a sua atuação à frente do Combem, entidade que ajudou a fundar em Itabira, em 1976. Para ela, o importante era capacitar o menor para que pudesse seguir em frente com as suas próprias pernas.

Dona Margarida sempre lutou pela inclusão social, tendo vários exemplos de jovens que por ela foram assistidos – e que ingressaram no mercado de trabalho com a profissão que aprendeu nas oficinas do Combem e com o estímulo para continuar estudando.

Exemplo

Dona Margarida Silva Costa, ex-presidente do Combem (Foto: Humberto Martins)

Dentre esses alunos está o vereador José Júlio Rodrigues (PP), que fez moção de aplauso em sua homenagem, tendo produzido um vídeo com passagens de dona Margarida pelo Combem, exibido durante a sessão na Câmara Municipal.

“Dona Margarida é exemplo a ser seguido, pela sua história de dedicação aos menores que precisavam de apoio para conseguir uma profissão e seguir na vida com dignidade”, reconheceu o vereador, que é graduado em História.

Em entrevista, dona Margarida contou que para ingressar nos quadros de empregado da Vale foi fundamental ter aprendido datilografia, um diferencial importante naquela época. Por muitos anos ela foi a única mulher que sabia escrever à máquina na mineradora, uma técnica dominada até então somente pelos homens.

Ela conta que foi criticada por pretender “abandonar” o lar para ingressar no mercado de trabalho, tendo cumprido a dupla jornada com total dedicação. Trabalhou por 30 anos na Vale, passando pela Estrada de Ferro Vitória a Minas, pela administração do Hospital Carlos Chagas e, por último, na antiga Superintendência das Minas, onde se aposentou, em 1975.

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, dona Margarida não compareceu à sessão da Câmara em sua homenagem. Foi representada pela filha Rosa Márcia Costa, que, emocionada agradeceu.

A homenageada com voluntárias da Vale (Foto: Humberto Matins)

“Vou levar toda essa emoção à minha mãe, que vai ficar muito feliz com a homenagem. Tudo isso que assisti no vídeo é verdadeiro, sou testemunha da dedicação que ela sempre dedicou aos que necessitavam de apoio”, disse ela na Câmara Municipal.

Foi assim a vida de dona Margarida, uma das primeiras a se dedicar ao voluntariado em Itabira.

Agia sem paternalismo, sempre acreditando ser possível promover a inclusão social, mesmo com todas as desigualdades sociais que o país ainda não conseguiu superar com melhor distribuição de renda e igualdade de oportunidades para todos.

“Ela ficou triste e aborrecida com a proibição do trabalho do menor aprendiz, quando ela ainda presidia o Combem. Acha que com isso foi retirada a oportunidade de o menor aprender um ofício desde cedo”, contou Rosa Márcia na homenagem feita pela Câmara Municipal.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

4 Comentários

  1. Uma história de mulher guerreira que se impôs entre os Homens de Ferro. Vida longa pra d. Margarida. Está na memória da cidade e seu nome deve ser grafado pela história das mulheres Brilhantes de Itabira.

  2. Geraldo Antônio Gonçalves on

    Venho escrever algumas palavras para pessoas a vida não deve ser falada só em dinheiro e perdas e sim de um exemplo de pessoa como de dona Margarida que não tira ouro mas tira lágrima de nossos olhos !De alegria!E orgulho !A ser seguido. Uma mulher forte e determinada à lutar sempre nas causas dos menos favorecidos essa história de alma amor e proteção de vidas de pessoas que hoje teve presente dá o seu testemunho de dignidade e caráter,são estas pessoas como dona Margarida que faz a vida ter mais sentido de esperança!Lembrança inesquecível pela bondade e esse perfume de flor ou rosa que está presente em todos os lugares que ,existem o bem. Parabéns Dona Margarida pelo 100 anos de vida e história e amor ao próximo!!Fica aqui minhas palavras de agradecimento de tudo que eu lí sobre dona Margarida. Nós devemos só esperar resultados dos outros não, sempre devemos lutar como dona Margarida para obter resultados,assim deixar semente e marcar a história.

  3. Uma vida vivida para ajudar os outros, diminuir as desigualdades. Dona Margarida, Deus abençoe sua vida exemplo a ser seguido, um braço forte junto à comunidade, sempre preocupada com os menos favorecidos, mas nem por isso passava a mão em suas cabeças, mostrar a realidade com uma perspectiva para o futuro. Parabéns

Deixe um comentário