De Itabira, e para o município, vários projetos foram inscritos para a 1ª Chamada Vale de Patrocínios Culturais

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

As inscrições de projetos para participar da 1ª Chamada Vale de Patrocínios Culturais foram encerradas na quarta-feira (14). O resultado será divulgado no dia 1º de dezembro.

Trata-se do maior volume financeiro já alocado pela mineradora Vale em um chamamento cultural de grande vulto: R$20 milhões, distribuídos em quatro faixas de valor: até R$250 mil, R$500 mil, R$1 milhão e até R$ 2 milhões.

Para avaliar e selecionar os trabalhos, uma comissão foi formada por especialistas de fora da empresa, composta por artistas, pesquisadores, jornalistas, críticos de arte e profissionais de áreas ligadas ao setor cultural.

O resultado com os projetos selecionados sai no dia 1º de dezembro, no site do Instituto Cultural Vale – institutoculturalvale.org -, onde também está disponível o regulamento do edital.

Patrocínios integrais

O patrocínio cultural da Vale tem por base o artigo 18 da Lei Federal de Incentivo à Cultura, artigo 18, que prevê aportes integrais de recursos aos projetos selecionados.

Significa que, sendo aprovado, o aporte de recursos será integral, sem necessidade de contrapartida do empreendedor cultural.

Essa é a primeira chamada cultural para projetos por esse meio – e todos devem ser implementados em 2021. A assessoria de imprensa da mineradora informa que foram recebidos 2.814 cadastros de projetos culturais de todos os estados.

Desse total, 2.195 estão voltados para municípios nos estados de atuação da Vale (RJ, MG, ES, PA, MA e MS) – e 619 em cidades dos demais estados do país.

A empresa ainda não informou, mas Itabira teve vários projetos inscritos nas áreas de música (canto coral, shows), como também nas artes plásticas (pintura, grafite), com propostas de exposições.

A expectativa da empresa é promover a cultura nos territórios como contribuição ao desenvolvimento artístico local. Mas também foram inscritos projetos fora das áreas de atuação da empresa, totalizando 1.339 inscrições.

“É importante destacar o potencial de transformação dessa iniciativa (Chamada Vale), que, ao estimular a cultura, tem impacto sobre toda a cadeia da economia criativa, beneficiando regiões tradicionalmente menos atendidas pelos investimentos nesse setor”, afirma Luiz Eduardo Osorio, diretor-executivo da Vale e presidente dos Conselhos Estratégico e de Curadores do Instituto Cultural Vale e da Fundação Vale.

Projeto Arte em Cores, patrocinado pela Vale, abrange 15 municípios nos estados do Pará e do Maranhão (Foto: Divulgação). No destaque, banda Bloco Pele Morena em apresentação no Memorial Minas Gerais Vale, em 13 de fevereiro (Foto: Nunes Nunez/Divulgação)

Saiba mais

O Instituto Cultural Vale foi instituído pela empresa para ser um instrumento que contribua para a transformação social. A proposta é contribuir para democratizar o acesso e fomentar a arte, a cultura e o desenvolvimento das expressões artísticas regionais.

Neste ano, o instituto já tem sob sua gestão mais de 60 projetos criados, apoiados ou patrocinados pela Vale em mais de 50 municípios brasileiros.

Dispõe de espaços culturais próprios. São quatro museus e centros culturais, com atuação junto a escolas e organizações sociais, com identidade e vocação próprias.

São eles: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Falta ainda instalar um espaço semelhante em Itabira, onde a empresa nasceu e cresceu para se tornar uma das maiores mineradoras do mundo.

Esses espaços estão fechados para visitas, temporariamente, desde março de 2020, em decorrência da pandemia da Covid-19. Mas contam com programação online gratuita em seus canais próprios.

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário