Cruzeiro vence na estreia de Ney Franco, mas reforços são necessários para retornar à série A do Brasileiro

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Luiz Linhares*

Nariz de cera

Queira Deus que não seja apenas uma mera coincidência no Brasileiro AB. O América ganhou na quarta feira última e se tornou o segundo colocado da disputa, enquanto o Cruzeiro voltou a vencer após seis jogos sem ter o gosto da vitória e o Atlético, mesmo com dificuldades, obteve outra vitória se tornando também o segundo colocado na disputa.

O futebol mineiro foi 100% na rodada nas duas competições de pontos corridos do Brasil. Que venham outras e outras rodadas assim, que volte o futebol mineiro a figurar sempre no pelotão da frente, mesmo porque merecemos que assim seja.

Sem muitas opções, Ney Franco já mostra seu estilo na vitória do Cruzeiro, enquanto aguarda mais reforços

Cruzeiro venceu com toda dificuldade no primeiro embate, sob o comando do agora treinador Ney Franco. O novo treinador chegou mostrando a cara e com 48 horas de casa foi para o jogo.

E sentiu o problema que vai enfrentar. Mexeu no time e com uma boa dose de sorte, venceu. O treinador com certeza irá agora tentar melhorar tudo em sua volta.

Posso dizer que no primeiro momento, a sua participação de maior confiança ao time celeste, mesmo com os erros que vêm-se sucedendo. Mas desta vez foi uma vitória merecida, o que deve ser uma busca constante daqui para frente.

É mais que sabido que reforços terão que ser encontrados. O primeiro deve ser o retorno de Marquinhos Gabriel, que rescindiu contrato com o Atlético Paraná e está de volta ao Cruzeiro. Ele sabe jogar e certamente será de grande utilidade. No mais é esperar por outros que precisam chegar, que é para deixar o grupo forte na busca do acesso.

América assume a vice liderança mesmo com as oscilações em campo, mas joga como time grande

América assume a vice-liderança e já treina para enfrentar a Ponte Preta pela Copa Brasil (Foto: João Zebrel/América). No destaque, Cruzeiro vence primeira partida com Ney Franco (Foto: Juarez Rodrigues-EM/DA Press)

Foi uma vitória no estilo dos bons tempos do Coelho em Curitiba contra o líder Paraná. Com isso, o América alcança a segunda colocação na série B do Brasileiro, com igualdade de pontos e vitórias com o primeiro colocado.

O Coelho jogou como time grande e foi uma vitória importantíssima. Mas falta ao técnico saber lidar com a queda repentina de rendimento do time entre um jogo e outro.

O América faz maravilhas como fez em solo paranaense. E enfrenta, no fim de semana, o Figueirense em Belo Horizonte. Tomara que mantenha a força e não dê chance ao azar.

Atlético teve dificuldades contra o Bragantino, e vence uma partida bem esquisita, para dizer o mínimo

Savarino comemora gol na vitória apertada contra o Bragantino (Foto: Alexandre Guzanshe (EM D.A. Press)

Achei o Atlético contra o Bragantino um time esquisito, bem ao estilo do Jorge Sampaoli, que foca mudanças radicais independentes de quem e onde aconteça.

Armou um time numa formação que nem sei espaçar muito em campo. Foi estilo dois compondo a zaga, cinco pelo meio com inversão de laterais e mais um zagueiro flutuando e três homens de frente.

O goleiro Everson estreou bem na partida, mostrando que sabe fazer o jogo do técnico, com bom domínio pelos pés. Contra um adversário que pouco ameaçou, o Atlético jogou com três zagueiros, um articulando pela ala esquerda, dois laterais direitos com um atuando pelo meio e por aí afora.

Acho certo testar boa parte do grupo, saber do potencial de todos, ter em mãos opções de toda maneira. É claro que isso só tem validade para quem sabe usar. O rendimento do time alvinegro ainda está a dever, passando por apertos dentro do jogo.

Vem agora um tempo em que as partidas irão se aos finais de semana e com tempo de treinamento. Com isso, o time com certeza irão produzir melhor.

Outro ponto importante foi o retorno do Nathan, que entrou na segunda fase do jogo. Com ele fora, o time teve queda no rendimento. Jogador que se adaptou muito bem ao estilo Sampaoli e deve ganhar novamente a posição de tiular.

Com o tempo a mais de treinamento deve acontecer melhora na finalização, que continua falha do time em geral. Terá assim um tempo a mais para treinar penalidades e melhorar o aproveitamento. A trilha para o Galo é a mais plana e de visão vencedora. Vamos pagar para ver.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário