Coração magoado: da mesa para o cocho, a nutriente batata doce

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

É a batata doce uma das substâncias mais nutriente, e mais saborosa que temos no país. Também serve para sustentar os homens, como os animais, mui principalmente para engordar porcos e nutrir as vacas de leite, que com este alimento dão leite abundante e gordo.

Mr. Monlevade*, rico fazendeiro do município de Itabira* (província de Minas), sustenta com as batatas a sua escravatura, porcos, cavalos e gado. Gastando muito pouco das outras substâncias alimentícias, ele faz ver, que em um terreno, que apenas dava cinquenta alqueires de milho, sendo plantado de batatas, colheu no primeiro ano mil e oitocentos alqueires, no segundo mil e duzentos, e no terceiro seiscentos.

Os franceses nas suas colônias plantam grandes campos de batatas; porém nós ainda não apreciamos como devíamos, para o nosso interesse, este precioso vegetal.

Apenas se vê em nossas fazendas um ou outro canteiro de batatas para sobremesa, quando todos os agricultores deviam ter grandes quarteis desse utilíssimo tubérculo.

Há várias qualidades de batatas doces; mas dá-se preferência a duas espécies por carregarem e são: Uma semelhante à denominada – coração magoado –, por ter o interior roxo, apesar de ser muito maior, e a batata de marára denominada em Minas – batata de treze meses -, apesar de não ser tão doce como a antecedente.

Aconselhamos, portanto, aos nossos fazendeiros que plantem grandes quarteis de batatas, para fartura de seus flamulos. As batatas ainda podem dar nutriente e saudável ceia à escravatura, com melaço ou sem ele.

A batata é um dos melhores alimentos para engordar porcos. Cozinha-se em tachos, e no ponto de principiar a desfazer-se (delir-se), se lhe ajunta um pouco de fubá grosso, ou farelo; mexe-se com uma pá, e tira-se do tacho para outra vasilha até esfriar.

A batata tem um inconveniente, e é, o não se conservar por muito tempo debaixo da terra, como o inhame, a mandioca, e a taiova; porque, passado o mês de agosto, apodrece se não se colhe logo.

Mas este inconveniente se pode remediar, passando-a por uma leve fervura em um tacho, e pondo-se depois ao sol para secar a humidade, para depois empaiolar-se.

A batata não exige terreno muito forte, nem estrumado; ela vegeta bem em terreno enxuto, solido e areento; por isso deve ser lavrada com arado; e depois de lavrada a terra se plantará a batata em princípio de setembro.

As covas devem ter a distancia de oito a dez palmos de uma à outra; plantam-se os tubérculos pequenos porque saem as ramas mais depressa e mais viçosas, do que sendo plantadas partidas em vários pedaços; também se plantam as ramas e nascem bem; mas assim aumenta mais o trabalho.

Quando a batata começa a estender as ramas, deve ser capinada à enxada, as outras capinas devem ser feitas à mão. Sua colheita é de junho até fim de julho; desse tempo por diante vai apodrecer.

A batata de marára dá bons tubérculos em quatro meses e por isso se deve colher logo que estiver madura, pois continua a dar sempre. Esta nasce melhor plantando a rama.

*1 Jean-Antoine Félix Dissandes de Monlevade (1791-1872), geólogo chegou no Brasil 1817 e hoje é o patrono da siderurgia nacional.

*2 Itabira – João Monlevade como identificamos hoje era terras de Itabira na imensidão do Matto Dentro

[Noticiário. Agricultura. Batata Doce. O Cearense (CE), 24/8/1881. Hemeroteca da BN-Rio-Pesquisa MCS]

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário