Conclusão do campus universitário da Unifei só deve ocorrer em 15 anos, prevê Ronaldo Magalhães

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Com a nova parceria com a Vale, a Prefeitura irá construir três novos prédios no campus da Unifei – um investimento de R$ 120 milhões, sendo que R$ 100 milhões serão repassados pela mineradora, de acordo com o cronograma das obras. Os R$ 20 milhões complementares serão alocados pela Prefeitura, com recursos da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem).

No total serão 30 mil metros de área construída, distribuída entre os três novos prédios. Com a expansão, a expectativa é praticamente dobrar o número de universitários no campus local, que hoje gira em torno de 2,2 mil universitários, matriculados em oito cursos de engenharia.

“O cronograma previsto para a conclusão desses três novos prédios é de quatro anos, mas esse prazo pode ser antecipado”, disse o prefeito Ronaldo Magalhães. “A licitação deve ocorrer ainda em novembro.”

Com o projeto do campus implantado em sua totalidade, o que só deve ocorrer no prazo de 15 anos, a expectativa é atingir um número de 10 mil universitários em Itabira.

Assim que a edificação desses prédios for concluída, a expectativa é dobrar o número de universitários no campus de Itabira nos próximos quatro anos com a abertura de novos cursos de engenharia civil, eletrônica e ciência da computação – e também de medicina.

Atualmente, o campus de Itabira conta com um corpo docente formado por 145 professores e 84 servidores técnicos e administrativos, com oito cursos de engenharia. Esse número de professores e servidores também deve ser ampliado proporcionalmente ao ingresso de novos universitários

Recursos adicionais

Marcel Parentoni, vice-reitor da Unifei, apresentou o cronograma de expansão do campus de Itabira (Fotos: Carlos Cruz)

Para completar a implantação do projeto universitário da Unifei para Itabira serão necessários aportes de recursos adcionais de cerca de R$ 300 milhões, que devem ser alocados no prazo entre dez a 15 anos.

Nos dois prédios já existentes, segundo Ronaldo Lott, secretário municipal de Obras, a Prefeitura já investiu R$ 90 milhões, sem contar os recursos que foram repassados pela Vale para a instalação dos laboratórios, da ordem R$ 42 milhões em valores de dez anos atrás.

Pelo cronograma apresentado pelo vice-reitor da Unifei, professor Marcel Parentoni, a expectativa é ter em Itabira, em 2027, cerca de 6 mil universitários, alcançando 7 mil estudantes em 2030. O número de 10 mil alunos só deve ser alcançado no prazo de 15 anos.

Outros cursos que já estão com pedidos de instalação junto ao Ministério da Educação são os de engenharia química, sistemas de informação, física, química, matemática e administração.

Para a área de saúde, além do curso de medicina, espera-se também pela instalação de cursos de enfermagem, fisioterapia e educação física.

“A mineração provoca impactos negativos, mas também pode trazer coisas boas quando é bem conduzida. A Unifei tem consciência de seu papel no desenvolvimento de Itabira”, acentuou o seu vice-reitor.

Fórum de debates

Dando prosseguimento aos debates sobre o futuro da educação em Itabira, nesta quarta-feira (23) tem prosseguimento o fórum Itabira Sustentável- Educação e Inovação como caminho para a diversificação econômica. 

Serão apresentados casos de sucesso na melhoria da educação básica, o que é também um dos objetivos a ser alcançados com a nova parceria entre a Prefeitura, a Vale e a Unifei.

A melhoria dos ensinos infantil,  fundamental e médio é considerada imprescindível para que o estudante itabirano possa ingressar na universidade e prosseguir com a sua formação profissional.

Também serão apresentadas experiências bem-sucedidas de empreendedorismo de base tecnológica, assim como as expectativas futuras com a implantação do Parque Científico Tecnológico, em um terreno do antigo Posto Agropecuária, próximo do campus da Unifei.

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário