Com programação pífia, FCCDA divulga “agenda cultural” de junho

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Com uma fraca programação, o que tem se repetido mês a mês, a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA) acaba de divulgar a agenda para o mês de junho.

Além da declamação de decorados poemas pelos Drummonzinhos, a agenda é fraquinha, pouco acrescentando para uma cidade que tem pretensão de ser cultural, turística – e do mundo, como Drummond. Mas é só intenção, como se observa com tantos outros programas lançados com pompa e circunstância na cidade.

Mas na agenda, imperdível é o concerto da Orquestra de Câmara da Escola Livre de Música de Itabira (OCELMI). Será neste sábado (1), às 20h, no simpático e pouco utilizado teatrinho do Colégio Nossa Senhora das Dores, que era palco para pequenos eventos nos históricos festivais de inverno em seus primórdios, antes da inauguração do Centro Cultural, em 1982.

No repertório estão Astor Piazolla, Gilberto Gagliardi e o compositor belo-horizontino Jônatas Reis, com as peças Libertango, Cantos Nordestinos e Bumberland Cross. O concerto inclui ainda a execução da Suíte Modal nº1, de Jônatas Reis.

A regência é do maestro Cláudio Lage, que já está há algum tempo à frente da orquestra, que apresenta o seu segundo concerto neste ano. Com certeza é uma boa opção cultural para sábado à noite nesta cidade de tão poucos acontecimentos culturais.

Luzes da cidade

Para os cinéfilos, na quarta-feira (12), às 19h30, no Memorial Drummond, será exibido o filme Luzes da Cidade, uma das obras mais aclamadas de Charles Chaplin. Mestre do cinema mudo, nessa película Chaplin que mistura drama e uma visão bem-humorada da vida, mesmo com um enredo simples, como a paixão por uma florista cega – e a luta por juntar uns “trocados” para restaurar a sua visão.

No domingo (16), de 10 a 12h, também no Memorial Drummond, haverá a oficina Coleções e Tesouros, destinada a crianças com idade entre 7 e 10 anos. A proposta é trabalhar com as crianças o patrimônio material e imaterial do espaço cultural do monumento dedicado a Carlos Drummond de Andrade.

E o que mais o itabirano terá disponível na agenda cultural de junho? Ah, terá mais um sarau dos Drummonzinhos em escolas na sexta-feira (28). E só.

Pobre cidade

Convenhamos, é muito pouco. Espera-se que a programação do Festival de Inverno seja mais rica – e diversificada com boas novidades da música, teatro, literatura e dança.

Com muito menos recursos que Itabira, cidades menores da região têm apresentado agendas culturais com ótimas opções. É o caso de Conceição do Mato Dentro, que pelo segundo ano promoveu o Tabuleiro Festival Jazz, com programação de nível internacional.

Mirem-se no exemplo, que Itabira merece.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Saudades de Myriam Brandão! Em sua época o Departamento de Cultura com poucos recursos fazia um festival digno com grandes nomes de artistas de renome nacional. Paulo Gracindo, Ney Latorraca, Juca de Oliveira, Grupo Corpo, Hermeto Pascoal, Mercedes Sousa, e tantos outros que aqui vieram. Só ficou saudades!

Deixe um comentário