Com palavras de ordem contra o STF, ato pró-Bolsonaro reúne menos de 100 pessoas na praça Acrísio

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Uma pequena manifestação, com menos de 100 pessoas, marcou o ato público em Itabira a favor das reformas do presidente Jair Bolsonaro (PSL), na manha deste domingo (26), na praça Acrísio de Alvarenga.

Com palavras de ordem contra o Supremo Tribunal Federal (STF), que consideram ser ocupado por políticos indicados pela esquerda e não por magistrados – os ataques foram duros  contra os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes.

Com outras tantas críticas dirigidas à rede Globo e ao Centrão, grupo político no Congresso Nacional que “impede o presidente de governar”, os oradores expressaram total apoio às reformas do governo federal, que foi duramente criticado por manifestações contrárias recentes ocorridas por todo o país (leia aqui).

Manifestantes pela Pátria, Família e Deus: apoio ao presidente Bolsonaro (Fotos: Eduardo Cruz)

Os manifestantes deste domingo também apoiam as primeiras medidas do governo, inclusive a liberação do porte de armas de fogo. Pediram a urgente reforma da Previdência e a aprovação do pacote anticrime, um conjunto de medidas propostas pelo ministro Sérgio Moro (Justiça), que endurece as regras do sistema penal brasileiro.

Deus, família e Pátria

O pastor Luiz Henrique da Silva, líder da igreja Assembleia de Deus em Itabira, lembrou-se das promessas da última campanha eleitoral, acentuando o muito que o presidente já fez em seu cumprimento. Mas lembrou, mais uma vez, que a batalha do bem contra o mal está longe de ser vencida.

“Ganhamos (as eleições), mas erramos ao deixar que uma corja de deputados e senadores se reelegesse para não deixar o presidente governar. Estamos pagando caro por essa falha nossa”, frisou o pastor, para quem o país tem conserto, desde que as reformas sejam aprovadas.

“O Brasil é um país bom para se viver, mas muitas coisas boas foram levadas pela corrupção, apoiada pela mídia que se acha no direito de dizer o que é certo e errado, principalmente com as suas ideologias de destruição da família”, discursou o líder evangélico.

Banneres com as palavras de ordem pelas reformas e pela CPI da Lava Toga

O pastor disse ter postado recentemente um vídeo na rede social conclamando os fieis a não ficarem calados. “Não podemos ficar quietos diante das fake news divulgadas pela mídia contra nosso presidente”, convocou.

“O que revolta é ver que o dinheiro ficou pouco para esse pessoal (da mídia e para os esquerdistas). E agora eles querem se reorganizar de uma forma errônea, como uma parte do MST (Movimento dos Sem-Terra) que se autodenominam como sendo Evangélicos do PT. Isso é uma farsa”, protestou.

De acordo com o pastor, são lobos querendo se vestir de cordeiros. “Há pouco tempo, em Maceió, o candidato do PT (Fernando Haddad) ganhou uma bíblia e a jogou no lixo”, repetiu o pastor uma denúncia que o ex-candidato da oposição já desmentiu, tendo sido classificada como mais uma das muitas notícias falsas que tem circulado nas redes sociais a seu respeito.

“Tem pessoas de esquerda infiltradas aqui (na manifestação da praça Acrísio) e quero deixar um recado para elas. Aceitem a derrota e deixem o Brasil trabalhar e crescer. O Brasil não é Bolsonaro. O Brasil é nosso e nós o apoiamos como administrador do Brasil. Deus acima de tudo”, concluiu.

Fechamento do Congresso

“Queremos a CPI da LavaToga”, cobrou um manifestante na praça Acrísio, referindo-se à instalação de uma comissão de inquérito para investigar os atos do STF. “Eles (os juízes) pensam que são deuses. Os membros do órgão superior de Justiça do país tem se comportado como agentes políticos e não como magistrados. Isso é surreal. São juízes que devem à justiça e a impunidade tem que acabar.”

Outro manifestante pediu o fechamento do Congresso, caso não aprove as reformas de Bolsonaro. ‘Somos a favor da reforma da Previdência do pacote de Moro para passar o Brasil a limpo. Desde que os militares deixaram o poder que somos governados pelos esquerdistas”, disse, lembrando que os caminhoneiros prometem uma greve geral para o dia 30 de junho, caso até lá as reformas não tenham sido aprovadas.

“Vamos fechar o Congresso. Que venha um novo AI-5. O Brasil está com infecções generalizadas e Bolsonaro é o antidoto que vai curar o país das infecções esquerdistas. O Brasil acima de todos e Deus acima de tudo”, pregou o orador, repetindo o mote da campanha bolsonarista.

Nesse momento os manifestantes rezam de mãos dadas o Pai Nosso, pedindo forças para o presidente realizar as reformas. “Vamos juntos, não nos dispersamos, como uma só família, uma só Nação.”

Armamento

O policial aposentado Cleverson Lobo Boim também bateu duro nos esquerdistas que “assaltaram o país nos últimos 15 anos”.  Ele defendeu o direito de o cidadão comum dispor de arma de fogo em casa para defender a sua família.

O policial aposentado Cleverson Lobo Boim defendeu a posse de armas por “cidadãos de bem” contra os bandidos

Segundo ele, a questão do desarmamento é defensável em várias passagens bíblicas. E citou a parábola do valente. “Para um valente entrar na casa de um valente não vai ser fácil, vai ter que passar por cima de um valente. Se o valente de fora sabe que o valente de dentro tem uma arma, ele não vai querer entrar com toda facilidade”, citou de memória.

Para ele, os que defendem o desarmamento querem que o valente que defende a família fique desarmado, enquanto o valente de fora, que ameaça a família, entre armado em sua residência, explicou, dialeticamente. “Embora o grupo aqui hoje seja pequeno, podemos ser multiplicadores. Estamos juntos e misturados na defesa das reformas de Bolsonaro.”

Radicalização

O vereador André Viana (Podemos), e presidente do Sindicato Metabase, participou discretamente da manifestação pró-Bolsonaro, mas não discursou. “Eu vim aqui a convite do movimento Direita Minas-Itabira só para marcar presença, como fiz na manifestação que é contrária à reforma da Previdência”, disse ele, em entrevista.

André Viana marcou presença mas não se manifestou publicamente

“Eu sou a favor que o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) fique com Sérgio Moro e também apoio a redução do número de ministérios. Mas sou contra vários pontos da reforma da Previdência, principalmente da extinção do fator previdenciário, que elimina o cálculo do tempo de contribuição e a idade para o trabalhador se aposentar. E a reforma tem que alcançar amplamente as viúvas e os herdeiros de militares”, sustentou.

Segundo ele, o que mais preocupa na atual conjuntura brasileira é o clima de radicalização. “Os ativistas extremistas não fazem bem para o país”, criticou.

O sindicalista disse não se arrepender pelo apoio que deu à eleição de Bolsonaro. “Existem coisas boas em seu governo que eu apoio e outras que precisamos discutir com as pessoas dos dois lados. O Brasil está vivendo o risco dos extremos e isso não é bom para ninguém, principalmente para o trabalhador que mais sofre as consequências de uma crise prolongada.”

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

3 Comentários

  1. Matéria mentirosa! Contra o STF, sr Carlos? Estive lá desde o início e UM senhor falou sobre o fechamento do STF (opinião dele e não do movimento). Em NENHUM momento ninguém além daquele senhor citou isso. Matéria tendenciosa, como a maioria de suas matérias. Vi que você esteve lá por menos de uma hora e não anotou nada. Apenas fotografou. Para você bastou UMA única pessoa falar contra a Corte que deu o tom de sua matéria, né? Continue fazendo reportagens sempre contra o atual governo e contra os conservadores que você vai ajudar bastante o país. Isso é bem típico de um site a favor de uma ideologia e que não consegue ter equilíbrio e ser democrático. Tipo, porque você é esquerdista, sempre que põe matérias da direita tem que denegrir ou distorcer o fato. Muuuito democrático!

  2. Olá, boa tarde. Ontem estive elogiando algumas matérias do presente jornal de esquerda. Hoje, me assustei com o texto, um pretexto fora do contexto, pelo visto injusto, diria ainda, como acima, tendencioso, infelizmente.
    Não bati duro nos esquerdista e isso é uma inverdade e somente contribui para o descrédito da página e em especial de quem a faz. Tenho minhas críticas ao seguimento esquerdista, diante de tudo que temos visto e que se comprovam. O problema não é a esquerda e nem a direita ou centrão, mas, aqueles e em especial lideranças desonestas e mesmo diria, criminosos.
    Aliás, por um bom tempo fui do Partido PSOL em Itabira e bem ativo no âmbito nacional nos diversos encontros no Rio, São Paulo e em Belo Horizonte. Heloisa Elena, chegamos a estar de ombros ladeados em almoço em “Beaga”, tendo me encantado com o estatuto do partido e os discursos em voga. No entanto, a prática dentro do partido relativo ao apoio a minoria é na minha opinião uma aberração. Por quê? Porque o que está no papel, na prática dentro do partido é diferente. Sempre fui minoria dentro do partido relativo as ideologias contrárias aos bárbaros atos do ABORTO, do Ativismo ou Império Gay, do Feminismo ou Machismo na forma extremista, a falta de respeito do partido em relação aos judeus (sabendo que nem todos judeus, são políticos e muito menos sionistas, sendo eu do seguimento da Tribo de Benjamim a exemplo de ZE’EV BOIM ser de tal partido e que era um dos ministros de Benjamin Netanyahu) sem que NUNCA pudesse ter voz perante a MESA ou da administração da MESA em esmagar aquele que se apresentava como minoria e SEM VOZ. Tudo isso, é muito penoso entre o discurso de apoio a quem é minoria num grupo ou seguimento ou corrente ideológica.
    É de bom alvitre esclarecer, que a primeira imagem é a que fica, quando tinha uma visão melhor da mídia “O COMETA” no caso agora do jornal eletrônico VILA DA UTOPIA.
    A Vila Itabirana, tem muitas utopias, e infelizmente, agora parece que este jornal de esquerda se apresentaria em tese, de caráter utópico. Com minhas desculpas, sem que queira atingir no âmbito pessoal.
    Minha ERUDIÇÃO, não poderia ser diferente diante da matéria acima exposta, em razão do que foi apresentado em diversos discursos, na grande maioria pouco inflamado. Pouco se bateu na esquerda, sendo um ou diria, outro, pois os demais, nem lembraram da esquerda, mas, dos acontecimentos e que pelo isto, estão mais ligados ao chamado “CENTRÃO” na egrégia casa congressista.
    Friso ainda, que no âmbito de Itabira, tenho por opinião e isso sempre externei, entender que o melhor governo tenha sido o de esquerda, na localidade, na pessoa do nosso médico JACKSON, o qual sabe de minha opinião não por bajulação e tem o meu apreço.
    Tenho sim a minha crítica ao PT de LULA e Dilma e muito mais severas ao famigerado PSDB de FHC e AÉCIO NEVES (ANASTASIA). Informo, que votei no Lula por duas vezes, em Dilma, por duas vezes, na busca de não ver o PSDB (que é esquerda travestida de direita) a frente do país.
    Tenho muitos amigos no PT e mesmo PSOL e em outros partidos, muito embora esteja eu fora da política. Conheço Bolsonaro pessoalmente, pois como sindicalista em Belo Horizonte, presidindo o SINDETIPOL, por vezes estive percorrendo os corredores do Congresso em Brasília ou mesmo em Gabinetes de um Deputado ou outro e afirmo se tratar de uma pessoa exemplar e muito educado.
    Essa forma tendencioso, ela é algo que causa entristecimento, pois cria uma sensação de desonestidade com as palavras, como que uma mistura de mentira com a verdade e em cima de pequenas coisas.
    Tenho as minhas críticas sim, como cidadão e não como político, sem partido, portanto, seria de bom alvitre que essa matéria fosse revista.
    Independente de não concordar com a exposição da matéria, externo o sucesso e o bom uso de vossa capacidade intelectual e erudita, na busca de melhor servir o Itabirano e todo aquele que prestigia este jornal.
    Sem mais!
    Cléverson Lobo Boim

  3. PESSOA ARMADA
    Os donos do Jornal eletrônico, estão armados com a presente mídia. Esta arma, uma ferramenta, pode ser bem usada ou mal usada, com a pólvora que chamamos de ética.
    Assim é a vida, temos diversos tipos de armas e a LÍNGUA é uma delas, também uma ferramenta, para o bem ou para o mal.
    Assim, são diversas outras ferramentas que podem servir de armas para o bem ou para o mal. Depende das mãos de quem está! Para isso é que existem órgãos reguladores para fiscalizar. Se tantas armas ou ferramentas, mesmo bélicas, já estão nas mãos de diversos brasileiros, por que uma arma de fogo, também bélica, não poderia estar?
    Por que o brasileiro, tem que ser tolhido em seu direito, relativo ao uso de arma de fogo? Porque não estaria preparado? Porque não tem a cultura do uso de arma de fogo? Será que leram a lei que regulamenta o seguimento?
    Ser morto por uma arma bélica, fria, faca em especial, é muito pior do que ser morto por um projétil de arma de fogo, diria, por tudo que vivenciei na prática como Policial Civil, diante dos muitos corpos que surgiram em meu plantão de perícias demais, além dos acompanhamentos na parte do IML.
    Até aqui, temos vivido num pais de “FAZ DE CONTA”, em meio a tanta hipocrisia da mídia e de tantos políticos, de tantos servidores públicos com AMARRAS a determinadas irmandades (confrarias) que mandam no comércio, indústria e na política.
    A questão da arma de fogo, não seria a pessoa pobre que possa vir a ter uma arma de fogo e nem mesmo um indivíduo abastado, que tenha mais de uma arma de fogo em casa ou dentro do carro. A questão, é se a pessoa tem em seu espírito humano, DOMÍNIO PRÓPRIO, logo, responsabilidade.
    Para se ter uma mídia, tem que também ter domínio próprio e responsabilidade, para não matar o próximo de raiva, de tristeza, de desconfiança e etc.
    Por falar em mídia, vejamos a matéria: http://cleversonboim.blogspot.com/2019/04/seria-esse-o-novo-desfarce-do-politico.html
    Não concordo com o que criação na FRANÇA nos idos de 1700, a Direita e a Esquerda. Para fazer política, temos que ter uma visão HOLÍSTICA, do todo e para todos. Falar no papel isso, é bonito, mas, é assim que deve ser e não uma política de grupos e de toma lá, dá cá.
    Diferenças ideológicas, é na diferença que encontramos riquezas, desde que o respeito, que para muito falta, exista.
    Tenho observado em nosso país e na cidade de Itabira não tem sido diferente, que a política é feita para grupos ou grupo, ou ainda, grupão.
    Saudações e sucesso.
    Cléverson Lobo Boim
    קלורסון לובו בוים

Deixe um comentário