Com muitos idosos de 88 anos ainda sem vacinar, é urgente que sejam imunizados em domicílio para encerrar esta etapa da campanha

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Ainda é grande o número de idosos de 88 anos sem vacinar em Itabira contra o novo coronavírus  (Sars-CoV-2),– e isso é muito preocupante. Com o avanço da pandemia também no município, para os próximos dias já se prevê um recrudescimento das medidas restritivas, até mesmo com lockdown, como antecipou o prefeito Marco Antônio Lage (PSB) em sua live de quinta-feira (25).

De um total estimado de 220 idosos nessa faixa etária, apenas 90 foram vacinados desde 26 de março. A Prefeitura disponibiliza os telefones 3839-2680 e 3839-2600 para que seja agendada a vacinação em domicílio dos idosos acamados e de dos que por qualquer motivo não compareceram ao drive-thru instalado no estacionamento da Fundação Comunitária de Ensino Superior (Funcesi).

Mas só disponibilizar os telefones para agendamento das visitas domiciliares não basta. É preciso que os agentes de saúde, que certamente têm os cadastros com os endereços desses idosos, se dirijam às residências para que seja feita a necessária e urgente imunização dessas pessoas.

Muitos idosos podem até mesmo nem terem sido informados da campanha de vacinação, principalmente quem reside na zona rural. Como podem não dispor de condução própria para levá-los do drive-thru. Então é preciso ir aonde eles se encontram.

Risco de colapso

O sistema de saúde no município já está bastante demandado por pacientes da cidade e da região. Não demora entra em estágio de pré-colapso. Isso se não forem contidas rapidamente as novas variantes mais infectantes do vírus. Essas novas cepas se espalham com rapidez por todo o mundo – e certamente já estão presentes no município e na região.

Para esse enfrentamento e preservação da vida, é preciso dar celeridade à vacinação dos grupos de riscos, na medida em que chegam os ainda raros imunizantes. Além disso, as prefeituras de Itabira e da região devem adotar medidas mais coercitivas para impedir aglomerações de jovens que ainda acham que são imunes à doença.

Ocorre que muitos podem estar contaminados. E, assintomáticos, levam o vírus para dentro de casa e para os locais de trabalho, com graves consequências.

Prioridades

Priorizar a vacinação de idosos, neste momento, com certeza é até mais importante – e deveria ser prioridade na escala – antes mesmo de imunizar os profissionais de saúde que não estão na linha de frente no combate à pandemia. Mas infelizmente não é o que tem ocorrido.

Em Itabira, desde o início da campanha de vacinação, 524 profissionais da saúde da rede privada já receberam a primeira dose da vacina contra o Sars-CoV-2, de um total 1 mil cadastrados no portal da Prefeitura. Alguns não passaram pela triagem e não se enquadram no público-alvo.

Mas para aqueles que se enquadram e ainda não deram início à imunização, a Secretaria Municipal de Saúde pede para aguardar novo agendamento. Para ser vacinado, o profissional terá de comprovar vínculo empregatício com o estabelecimento de saúde.

Não vale mais apresentar uma simples declaração do proprietário, o que é um acinte à necessária formalidade do emprego – e também à rigidez no cumprimento dos critérios definidos para esse público-alvo.

Segunda dose

Nesta quarta-feira (3) e quinta-feira, serão atendidos os profissionais de saúde que receberam a primeira dose entre 11 e 13 de fevereiro.

A vacinação prossegue pelo sistema de drive-thru no estacionamento da Funcesi, O horário é de 8h às 16h30.

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário