Com candidatura já “consensual”, Allaim Figueiredo deve ser o novo presidente da Câmara Municipal de Itabira

1
Compartilhe.

O vereador Allain deve assumir a presidência da Câmara (Fotos: Carlos Cruz)

Embora teoricamente qualquer um dos 17 vereadores pode se candidatar, já está praticamente acertado que o vereador Allaim Anderson Figueiredo (PDT), ex-líder de Ronaldo Magalhães (PTB) no legislativo itabirano no ano passado, será o próximo presidente da Câmara Municipal de Itabira para exercer mandato de dois anos, até o encerramento da presente legislatura.

Oficiosamente dois candidatos da base governista disputam o cargo. Além de Allaim, o vereador Carlos Henrique da Silva Filho (Podemos), o Carlim “Sacolão”, atual líder do governo, também está na disputa.

Entretanto, uma fonte que tem trânsito livre nos bastidores da Câmara e também no terceiro andar da Prefeitura, assegura que a escolha governamental é mesmo pelo nome de Allaim Figueiredo.

Independência

Teoricamente, os poderes são independentes, mas a influência, para não dizer outra designação, do poder executivo sobre o legislativo é decisiva. Além disso, para assegurar esse poder hegemônico, a bancada situacionista é majoritária. São 13 vereadores fiéis, dois que ensaiam rebeldia e apenas outros dois são declaradamente oposicionistas.

Carlim Filho, atual líder do governo, deve compor a nova diretoria

E nada há a indicar que possa ocorrer algum lampejo de rebeldia de alguns vereadores da bancada situacionista, ao ponto de a escolha recair sobre o vereador Carlim Sacolão ou mesmo com a eleição de um terreiro nome.

É que o governo tem “bala na agulha” para impedir que isso ocorra, por meio do costumeiro fisiologismo que pode dar aquela mãozona à reeleição dos vereadores da base situacionista.

“Os poderes são independentes e o governo não vai intervir. Qualquer um dos 17 vereadores pode se candidatar”, assegura o virtual presidente Allaim Gomes.

“Eu não vou retirar a minha candidatura, mas acredito que será encontrado um nome de consenso”, tangencia o vereador Carlim “Sacolão”, que por certo irá compor a nova diretoria da Câmara. “A nossa candidatura é para somar, não é para dividir.”

Intervenção

Sem se preocupar com a independência dos poderes, o vereador Paulo Soares de Souza (PRB) não se tergiversa – e pede logo a intervenção do governo municipal na disputa. Ele afirmou na sessão de terça-feira (30) da Câmara que se não for encontrada uma candidatura de consenso entre os vereadores, que o governo indique o melhor nome para manter a “harmonia” entre os dois poderes.

Paulo Soares pediu intervenção do governo na disputa

“O que não dá é para dividir a base governista”, disse ele. Soares teme que a “disputa” entre os dois candidatos governistas acabe por fortalecer a nanica oposição.

Isso é pouco provável, mesmo porque o governo irá dispor de mais cacique nos próximos dois anos com o aumento em mais de R$ 100 milhões na arrecadação municipal – a previsão é de a Prefeitura arrecadar R$ 560 milhões no próximo exercício fiscal.

Com tamanha benevolência costumeira com o caixa do erário municipal, é certo que nenhum vereador situacionista vai querer ficar de fora das “conquistas” municipais que certamente irão ocorrer “em benefício do sofrido povo de Itabira”.

Benevolência

São benesses que têm força eleitoral. E que, certamente serão distribuídas já no próximo ano, com reajuste para o servidor municipal que está há três anos com salários defasados. Somem-se ainda as muitas pequenas (e grande) obras reclamadas nos bairros e distritos pela população que certamente irão ocorrer nos próximos últimos anos. Colados ao governo, os vereadores esperam garimpar substanciosos votos que garantam a reeleição em 2020.

Neidson Freitas (ao centro) deve assumir a liderança do governo, função que já exerce informalmente

Pois é justamente essa perspectiva de se ter as “burras” do erário cheias que se sustenta a eleição de Allaim Figueiredo com o apoio do governo municipal. “Ele é o ungido pelo ‘terceiro andar’”, assegura a mesma fonte.

“A escolha”, diz, “é tão certa que até já foi escolhido o futuro procurador da Câmara e o novo diretor da Casa”. Mas, esperto, ou mesmo por ainda não saber, não quis adiantar os nomes dos novos principais assessores do legislativo itabirano.

“A sucessão de Neidson (Freitas, atual presidente) já está definida. Só o que falta é os vereadores votarem”, reafirma. A eleição da nova mesa diretora da Câmara tem de ocorrer até 31 de dezembro, mas pode ocorrer já nas próximas sessões legislativas.

Pela articulação da base governista, o atual presidente não deve compor a mesa diretora, mas assume a liderança do governo, função que já exerce informalmente mesmo estando na presidência da Câmara. Carlim “Sacolão”, atual líder, deve compor a nova diretoria da Casa, possivelmente como vice-presidente.

 

Sobre o Autor