Codema promete apresentar solução para o esgoto no bairro Bela Vista na reunião de quinta-feira

1
Compartilhe.

Na próxima reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codema), a vice-presidente da Associação dos Moradores do Bairro Bela Vista, Maria Aparecida Coelho, espera ouvir do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), da Prefeitura e da Vale a solução que irão apresentar para resolver, de forma definitiva, a questão da rede de esgoto que passa pela barragem do Pontal e que não raro transborda e invade as residências vizinhas.

Maria Aparecida, presidente da Associação dos Moradores do bairro Bela Vista, e Francisco Carlos, da Interassociação, vistoriam as obras da Vale na barragem do Pontal. E aguardam solução (Fotos: Carlos Cruz)

A reunião do Codema está agendada para quinta-feira (7/12), a partir de 16h, no auditório do Parque Natural Municipal Mata do Intelecto. “Já tem mais de 30 anos que prometem resolver esse problema e continuam empurrando com a barriga. A Vale diz que a responsabilidade é do Saae e da Prefeitura, que por sua vez jogam a culpa na empresa. O certo é que o rejeito acumula na caixa de esgoto que entope e transborda. Vão lá, limpam, e o problema volta a ocorrer”, conta a líder comunitária.

Priscila Martins da Costa promete apresentar solução na reunião do Codema, nesta quinta-feira

A secretária de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, e presidente do Codema, Priscila Braga Martins da Costa, depois de ouvir as reiteradas reclamações da presidente da Associação de Moradores, promete apresentar solução definitiva para o problema que aflige os moradores vizinhos da barragem. “Está agendada para a próxima reunião do Codema a apresentação do cronograma de trabalho para resolver a questão.”

Ajustamento de conduta

A líder comunitária diz que o problema sempre se agrava no período da chuva. Ela reconhece que a abertura de um canal e drenagem do córrego ameniza a situação, mas não resolve. “A Vale, inclusive, parou o serviço pela metade, logo abaixo da curva próxima de nossa associação. Disseram que dali para frente não tem como seguir com o serviço. É lógico que tem, para tudo tem que ter solução.”

Na hipótese de não haver mesmo solução para o problema, a líder comunitária sugere que a Prefeitura desaproprie ou que a Vale compre as residências mais próximas da barragem – e que são as mais afetadas. “Nao dá para essa situação continuar. Além dos incômodos, coloca em risco a saúde dos moradores.”

Segundo a presidente do Codema, a Prefeitura realizou uma pesquisa de campo. Para isso, uma equipe visitou os moradores com o objetivo de saber como se encontram as redes de esgoto e pluvial. É que, segundo ela, parte do problema é provocado pelos próprios moradores que fizeram ligações clandestinas do esgoto. Lançadas na rede pluvial, retornam para as residências.

Assim como São Tomé, Maria Aparecida só acredita vendo

“Temos um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado pela Prefeitura, Saae e Vale com o Ministério Público para resolver o problema. Estamos seguindo o que foi acertado nesse acordo.”

É esse termo e o cronograma de implantação que ela promete apresentar na reunião do Codema desta quinta-feira. “É uma discussão técnica, não podemos ficar achando que essa ou aquela é a melhor solução. Vamos seguir o que está no TAC”, promete.

A Vale confirma que a solução para o problema está sendo tratada pela mineradora, Saae e secretaria de Obras. “A empresa tem realizado todas as tarefas que assumiu frente aos demais envolvidos. Os detalhamentos dessas ações devem ser apresentados à comunidade em reunião futura do Codema”, respondeu a empresa por meio de sua assessoria, mas sem informar se essa apresentação ocorrerá nesta próxima reunião do órgão ambiental.

Nariz de palhaço

O conselheiro Sydney Almeida aconselhou a líder comunitária a reunir os moradores e cobrarem também o empenho dos vereadores para a solução desse velho problema social e ambiental. “Reúna os moradores, façam faixas, coloquem um nariz vermelho de palhaço e vão lá cobrar solução dos moradores. Os vereadores consomem 3% do orçamento de Itabira e nada fazem”, sugere.

“O senhor está dizendo que é para os moradores irem cobrar dos vereadores. Não é papel da Câmara resolver esse problema, é da Prefeitura. Você está engalobando os moradores”, protestou o empresário e fazendeiro Werner Amann que, por não estar inscrito para se manifestar na reunião do Codema, teve o seu pronunciamento cortado. E a reunião foi encerrada.

 

 

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário