Censura nunca mais, proclamam manifestantes no Palácio das Artes

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Genin Guerra

Minas Gerais saiu na frente contra a onda conservadora que vem tomando conta do país desde o fechamento da exposição Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, em Porto Alegre. Nessa terça-feira, dia 22 de novembro, foi lançada a Frente Nacional Contra a Censura em Belo Horizonte.

O grande auditório do Palácio das Artes ficou lotado de solidariedade à exposição e contra a censura (Foto: Mídia Ninja)

O Palácio das Artes teve o seu auditório tomado por artistas de vários segmentos, intelectuais, políticos, representantes culturais e simpatizantes. Todos lá estiveram em apoio ao movimento contra atos contrários à liberdade de expressão.

Exposição faça você mesmo sua capela Sistina, de Pedro Moraleida (Foto: Mídia Ninja)

E, também, para comemorar a bem sucedida resistência às tentativas de fechamento da exposição Faça Você Mesmo Sua Capela Sistina, de Pedro Moraleida (1977-1999), que foi acusada de pedofilia e zoofilia.

Como disse o economista e jornalista Luiz Bernardes, pai do Moraleida, esta onda conservadora não vingará, pois eles estão na contramão da história.

O economista e jornalista Luiz Bernardes (Foto: Mídia Ninja)

Artistas de peso, como Chico Buarque e Caetano Veloso, ressaltaram a importância do movimento através das redes sociais. “É necessário que artistas e brasileiros esclarecidos em geral se manifestem enquanto é tempo contra a escalada desses movimentos que se dizem conservadores, mas que, na verdade, se valem de práticas fascistas, de intimidação e de violência, nas ruas e nas redes sociais contra a liberdade de expressão”, afirmou o Chico.

A noite terminou em clima de festa com vários shows e manifestações artísticas no hall do Palácio das Artes. A Frente Contra Censura já prepara novos atos em outras capitais brasileiras.

Reacionarismo

O artista Pedro Moraleida, já falecido (Foto: arquivo da família)

Enquanto isso, o deputado estadual João Leite (PSDB-MG) vocifera contra os manifestantes, com o seu conservadorismo exacerbado em nome de Deus, da Família e da Propriedade Privada, ávido de um regresso aos tempos da ditadura e de censura à liberdade artística.

Eis o que ele disse na tribuna da Assembleia Legislativa após a manifestação no Palácio das Artes: “Ontem vieram a Belo Horizonte pedófilos de todo o Brasil e diziam que se reuniriam para protestar contra a censura à aquela aberração que foi exposta no Palácio das Artes com dinheiro público, com zoofilia, pedofilia e vilipêndio a símbolos religiosos.”

Ainda bem que ele não foi eleito prefeito de Belo Horizonte. Melhor seguir em frente com a leitura do manifesto convocando para a manifestação de terça-feira, que transcrevo abaixo:

Manifesto

A decola – quem planta sementes do ódio colerá mundos insustetáveis (Foto: Genin)

O ator e dramaturgo João das Neves, o secretário de Cultura de BH, Juca Ferreira, e o secretário de Cultura de MG, Ângelo Oswaldo (Foto: Genin)

CENSURA NUNCA MAIS
Belo Horizonte, novembro de 2017

“Cala o peito, cala o beiço
Calabouço, calabouço”
Sérgio Ricardo, in Calabouço

Vivemos tempos sombrios. Os monstros do passado, que guardávamos na memória doída, insistem em ressuscitar na onda conservadora que assola o País. Tentam condenar e proibir exposições, peças de teatro, espetáculos de dança, shows e outras atividades artísticas, culturais, científicas e intelectuais.

A vaga reacionária quer controlar e cercear o pensamento, a criação e a manifestação livres de nosso povo; ao mesmo tempo em que promove retrocessos em vários aspectos da vida social.

A reação às tentativas de proibir a exposição Painel Arteminas, em exibição no Palácio das Artes, mostrou a força da resistência coletiva e colocou nossa cidade no circuito de defesa das liberdades de criação e expressão.

Acreditamos que as entidades da sociedade civil, intelectuais, artistas, personalidades, militantes culturais e ativistas dos muitos segmentos democráticos do País devem somar esforços para impedir o retorno da censura no Brasil. É preciso reagir antes que o obscurantismo se torne algoz da liberdade e o silêncio seja a única palavra permitida.

A constituição de uma frente contra a censura é o primeiro passo na direção de um movimento amplo em defesa das liberdades e dos direitos democráticos. Para esta jornada contamos com a sua presença valiosa e o seu apoio fundamental.

Convidamos você a participar conosco do lançamento da Frente Nacional Contra a Censura no próximo dia 21 de novembro – terça-feira – às 18 horas, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte.

Certos que poderemos contar com a sua participação e o seu apoio, enviamos um grande abraço em nome de todos nós. Não se cale. Participe.

Frente Nacional Contra a Censura

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Cristinica de Cervantes on

    Só um cretino insignificante pode vociferar tamanho atraso acusatório: “Ontem vieram a Belo Horizonte pedófilos de todo o Brasil e diziam que se reuniriam para protestar contra a censura à aquela aberração que foi exposta no Palácio das Artes com dinheiro público, com zoofilia, pedofilia e vilipêndio a símbolos religiosos.”

    Merece uma ação conjunta, assim com fez Caetano Veloso, processa e processa é no bolso que se cala imbecil.

Deixe um comentário