Cemig assume patrocínio da Fundação Clóvis Salgado, que administra o Palácio das Artes e outros espaços de cultura

0
Compartilhe.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) é a nova patrocinadora máster da Fundação Clóvis Salgado, que administra o Palácio das Artes, pelos próximos dois anos, entre outros espaços culturais.  Como mecenas da cultura em Minas Gerais, a estatal passa a patrocinar espetáculos no grande palco das artes cênicas e da música na capital mineira.

Da esquerda para direita: secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais, Marcelo Mat, presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras, presidente da Cemig, Cledorvino Belini e o diretor de Comunicação, Marco Antônio Lage. No destaque, apresentação do Coral Lírico de Minas Gerais (Fotos: Paulo Lacerda/Divulgação)

“É uma grande oportunidade de ampliarmos o apoio à instituição, que tanto contribui para a inclusão social no meio cultural”, vislumbra o presidente da Cemig, Cledorvino Belini, para quem a companhia tem uma história que se funde com a de Minas Gerais – e sempre esteve à frente de grandes iniciativas culturais no estado.

A iniciativa contou com a participação do itabirano Marco Antônio Lage, diretor de Comunicação e Sustentabilidade da estatal mineira, que tem investido em outras áreas culturais no estado.

“Estamos apoiando instituições e projetos importantes, como a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, o Grupo Corpo e Corpo Cidadão, o Grupo Galpão e Galpão Cine Horto, uma carteira ampla e diversificada, que atende a população de forma democrática e abrangente”, conta o diretor da estatal mineira.

É assim que, segundo ele, a Cemig se transforma em grande fomentadora do desenvolvimento cultural no estado. Por meio de leis de cultural, a Cemig apoia também o Minas Trend, a grande feira da moda que reúne expositores da indústria do vestuário, calçados, bolsar, joias e bijuterias.

Patrocina também a manutenção de museus estaduais, do Instituto Inhotim, em Brumadinho, grupo Ponto de Partida, em Barbacena, com a Universidade de Música Popular (Bituca) e do Minas Tênis Clube.

Está na hora de Itabira procurar apoio da estatal para algum patrocínio cultural no município. Quem sabe a Cemig assume a restauração do projeto original do Memorial Carlos Drummond de Andrade, de Oscar Niemeyer, assim como a ampliação de seu acervo?

Democratização dos espaços 

Para a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras, o apoio da Cemig irá propiciar benefícios diretos à população, além de incentivar produtores e artistas, que podem trabalhar para um público maior e mais diversificado.

“A parceria com a Cemig viabiliza a expansão de programas que já existem, tornando mais acessível o contato com a arte, por meio de gratuidades ou de ingressos a preços populares”, salienta.

Segundo ela, o patrocínio irá resultar em mais conforto, acessibilidade e ampliação da programação cultural dos espaços ligados à instituição.

Sobre o Autor

Deixe um comentário