Carteira de identidade em Itabira agora só com agendamento por telefone, válido também para o futuro posto da Câmara

2
Compartilhe.

Desde segunda-feira (12), quem for tirar carteira de identidade em Itabira não mais precisa enfrentar fila no Posto de Identificação da Delegacia Regional de Itabira, na avenida Carlos Drummond de Andrade. É que o atendimento ao público agora é feito, exclusivamente, por meio de agendamento prévio pelo telefone 31 38392995.

Helton Lopes espera que o agendamento prévio agrade e atenda melhor o cidadão (Foto: Átila Lemos)

A medida, segundo o delegado regional Helton Cota Lopes, tem por objetivo acabar com as filas diárias, que eram formadas desde cedo na porta da delegacia.

“Não há mais porque o cidadão ficar aguardando horas na fila para ser atendido. Espero que as pessoas se adaptem a essa nova modalidade de agendamento, para ser atendido com hora marcada”, afirma o delegado.

Com a novidade, a expectativa é também tornar mais ágil a emissão do documento, sem que o cidadão perca tempo, ou mesmo que deixe de ser atendido no mesmo dia em que se dirigiu ao Posto de Identificação, por falta de senhas.

Serviço

O interessado em obter ou renovar a carteira de identidade, além de agendar previamente o atendimento, deve apresentar duas fotos 3×4, certidão de nascimento ou casamento (de acordo com o estado civil). É preciso dispor também de comprovante de endereço atualizado.

Além disso, em caso de emissão de segunda via, o interessado terá de pagar uma taxa, por meio de um documento de arrecadação estadual (DAE). Esse documento fiscal pode ser obtido no endereço eletrônico: http://daeonline.fazenda.mg.gov.br .

Para menores de 16 anos, é necessária a presença de um dos pais, com carteira de Identidade. Ou da pessoa com a guarda definitiva do menor.

Para instalar o posto da Câmara, só falta treinar atendentes, diz delegado

Ainda para tornar o atendimento ao público itabirano e da região mais ágil, o delegado espera que em breve se instale o Posto de Identificação da Câmara Municipal. A instalação do novo posto em Itabira já foi aprovada pelos vereadores – e também pela Secretaria de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais.

Segundo o delegado regional, para o posto começar a funcionar só falta treinar os dois servidores cedidos pela Câmara, cujo curso tem duração de uma semana.

“Já assinamos todos os documentos necessários. O treinamento era para ter ocorrido na semana passada, em Belo Horizonte, mas foi adiado. Esperamos que ocorra ainda neste mês.” O treinamento é feito pelo Instituto de Identificação da Polícia Civil de Minas Gerais.

Heraldo Noronha: “todos documentos já foram assinados para instalar o posto de atendimento.”

Segundo o vereador Heraldo Noronha (PTB), a identificação pelo posto de atendimento da Câmara também contará com agendamento prévio, por meio de telefone, cujo número ainda está para ser divulgado.

“Já assinamos convênio de cooperação técnica e administrativa”, diz o presidente da Câmara. Os custos da instalação e manutenção do novo posto serão por conta da Câmara, que irá ceder os funcionários. ”Esperamos prestar mais esse serviço ao cidadão itabirano”, afirma Noronha.

Com o posto da Câmara, a expectativa é dobrar o número de emissão de carteiras na cidade. Atualmente são confeccionados, diariamente, em torno de 22 novos documentos. “Será um ganho importante para o cidadão de Itabira e da região”, considera Helton Cota.

Segundo o delegado regional, todas as etapas do serviço de identificação já são feitas em Itabira. O serviço não se restringe ao momento da identificação datiloscópica das digitais e à conferência dos dados da documentação. É feita também a classificação manual de cada linha contida nas digitais dos dedos das duas mãos.

O prazo para emitir o documento deve durar de três a cinco dias. Esse prazo já foi maior, chegando-se a demorar até 15 dias. Isso quando havia apenas dois funcionários, cedidos pela Prefeitura, para fazer a identificação no posto da delegacia de Polícia. Leia aqui.

“Só quando não se consegue pegar as digitais é que demora um pouco mais para o documento ser emitido, pois a identificação datiloscópica terá de ser feita em Belo Horizonte”, explica Helton Lopes.

 

Sobre o Autor

2 Comentários

Deixe um comentário