Campanhas de vacinação contra a paralisia infantil, e outras enfermidades, prosseguem até 30 de outubro

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Crianças com até 5 anos de idade devem ser vacinadas, impreterivelmente, até o dia 30 deste mês contra a poliomielite – doença mais conhecida como paralisia infantil, mesmo tendo o Ministério da Saúde considerado o Brasil livre da doença desde 1990.

Não é bem assim e a vacinação é imprescindível para não se correr o risco de a criança contrair a doença, que é extremamente perigosa por afetar o sistema nervoso. Se isso ocorrer, pode levar à paralisia irreversível dos membros.

A campanha de vacinação contra a poliomielite teve início na segunda-feira (5) em todo o país e será concomitante com a multivacinação (leia mais neste texto abaixo).

Nesse caso, o público-alvo são crianças e adolescentes menores de 15 anos que não foram vacinados ou que deixaram de ser imunizados por qualquer vacina.

Todo esse público deve comparecer aos postos de saúde que possuem sala de vacinação para conferir e atualizar o cartão de saúde. A meta é atingir 95% do público-alvo para as duas campanhas.

No caso da vacina contra a poliomielite, todas crianças com até 5 anos devem vacinar, mesmo que tenham sido imunizadas em outras situações. Mas existem estratégias diferenciadas para crianças com até um ano incompleto e para aquelas na faixa etária entre 1 e 4 anos.

Para isso vai depender do esquema vacinal registrado no cartão: a criança pode receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou dose extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

Dia D

Para a campanha está agendado o Dia D no sábado (17), mas é preciso evitar aglomerações.

Nesta data, as unidades do Programa Saúde da Família (PSF) e a Policlínica Municipal irão funcionar no horário de 8h às 17h. A apresentação do cartão de vacina é imprescindível.

Nos demais dias, a campanha prossegue nas unidades que possuem sala de vacinação. Devido à pandemia de covid-19, deve ser feito agendamento prévio para a aplicação das vacinas na unidade de saúde mais próxima.

Vacinas

No total, serão oferecidas 14 tipos de vacinas que protegem contra aproximadamente 20 doenças.

São elas: BCG (tuberculose); rotavírus (diarreia); poliomielite oral e intramuscular (paralisia infantil); pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, Haemophilus influenza tipo b – Hib); pneumocócica; meningocócica, DTP; tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola); HPV (previne o câncer de colo de útero e verrugas genitais); além das vacinas contra febre amarela, varicela e hepatite A.

Neste ano, o Sistema Único de Saúde (SUS) também oferece uma nova vacina, que já está inserida nesta campanha: a Meningo ACWY. A dose protege contra meningite e infecções generalizadas, causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

Atualização

Crianças que forem imunizadas contra a pólio também devem receber outras vacinas e assim atualizar as suas cadernetas de vacinação, entre elas a tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

Nesses casos, os agentes da saúde devem avaliar a situação vacinal de cada criança. O objetivo da ação é diminuir o risco de transmissão de enfermidades e as taxas de abandono do esquema vacinal.

No destaque, foto de Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário