Bolsonaro diz que irá colocar na cadeia ou mandar para o exílio todos aqueles que o negam

0
Compartilhe.

Rafael Jasovich*

“Vou voltar/Sei que ainda vou voltar/E é pra ficar”

Em seu discurso de ódio transmitido ao vivo na Avenida Paulista via celular, na tarde de domingo (21), Jair Bolsonaro se assumiu, mais uma vez, como candidato a ditador do Brasil. No seu pronunciamento, ele que é rejeitado por mais da metade dos brasileiros, ofereceu duas alternativas aos opositores: a cadeia ou o exílio.

Prometeu ainda prender seu adversário Fernando Haddad e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), atacou a imprensa e afirmou que a política terá retaguarda para bater no lombo dos adversários.

Transcrevo trecho do discurso de ódio, anunciando a ditadura que se abaterá sobre o Brasil se esse capitão do mato ganhar a eleição.

Bolsonaro dedicou seu voto pelo impeachment de Dilma ao coronel Briilhante Ustra, tristemente notório torturador (Fotos: Nilson Batista e Tânia Rego/Destaque)

”Só que a faxina agora será muito mais ampla. Essa turma, se quiser que ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão pra fora ou vão pra cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria. Nós acreditamos no futuro do nosso Brasil. Não é dessa gangue, que tem a bandeira vermelha e tem a cabeça lavada. E, seu Lula da Silva, se você estava esperando o Haddad ser presidente pra assinar o decreto de indulto, eu vou te dizer uma coisa: você vai apodrecer na cadeia. Brevemente você terá Lindbergh Faria pra jogar dominó no xadrez. Aguarde. O Haddad vai chegar aí também. Mas não será pra visitá-lo, não. Será pra ficar alguns anos ao teu lado. Já que vocês se amam tanto, vocês vão apodrecer na cadeia. Porque lugar de bandido que rouba o povo é atrás das grades. Petralhada, vai tudo vocês pra ponta da praia. Vocês não terão mais vez em nossa pátria porque eu vou cortar todas as mordomias de vocês. Vocês não terão mais ONGs para saciar a fome de mortadela de vocês. Será uma limpeza nunca vista na história do Brasil. Vocês, petralhada, verão uma polícia civil e militar, com retaguarda jurídica pra fazer valer a lei no lombo de vocês. Bandidos do MST, bandidos do MTST, as ações de vocês serão tipificadas como terrorismo. Vocês não levarão mais o terror ao campo ou a cidade. Ou vocês se enquadram e se submetem às leis ou vão fazer companhia ao cachaceiro lá em Curitiba.”

 0 candidato do PSL oferece cadeia ou exilio aos opositores, quando não a mutilação ou morte.

A democracia corre um sério risco no Brasil. O mundo já sabe, falta agora o eleitor definir se o ódio ao PT vale uma ditadura cruel da qual você também será vítima ou se quer viver num pais democrático e justo.

É com esse recorrente discurso autoritário que o coronel candidato reafirma a sua postura ditatorial. Cabe ao leitor decidir de que lado está. Nunca o voto do brasileiro foi tão importante como agora: ou se está ao lado da democracia ou apoia o autoritarismo que descamba na ditadura. Quem decide é você, eleitor.

*Rafael Jasovich é jornalista e advogado, membro da Anistia Internacional

 

 

 

 

Sobre o Autor

Deixe um comentário