Atlético aposta no técnico Jorge Sampaoli para ser novamente respeitado como grande time

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Luiz Linhares*

O que o torcedor atleticano mais esperava teve sua confirmação no domingo. Após os fracassos da participação relâmpago na Copa do Brasil e também na Copa Sul-Americana algo era esperado em termos de mudança, que fosse uma renúncia coletiva de toda a diretoria ou mesmo um afastamento numérico de atletas que não vem correspondendo ao esperado.

Nada muito drástico e a contratação do treinador argentino Jorge Sampaoli e sua equipe acabou sendo confirmada. Um sonho de consumo sem dúvida para qualquer equipe.

Treinador que fez bonito na Seleção Chilena e se tornou herói por lá devido ao seu trabalho, por último, fez do modesto time do Santos um time competitivo, que brigou por conquistas e fez renascer atletas que não produziam satisfatoriamente até sua chegada.

Óbvio que cada caso é um caso. O que pode Sampaoli fazer de imediato no Atlético? Alguns meses atrás recusou o mesmo convite e colocou inúmeras objeções para assumir o cargo que hoje vai ocupar.

Resta esperar e, como os dirigentes, pagar para ver. Certamente nomes de peso serão cobrados e até necessários, mudanças e posturas com certeza se conseguem com jeito e trabalho.

Por fim, o Galo faz um investimento vultoso na contratação que vai mexer com o futebol mineiro, até mesmo para que volte a ser respeitado. É preciso que se dê um voto de confiança a Jorge Sampaoli e sua equipe. E também de esperança em novos rumos no futebol atleticano e mineiro.

Na disputa pelo Mineiro, o Atlético na ressaca da eliminação da Copa do Brasil, foi a Varginha e mostrou a mesma incapacidade dos últimos jogos. Resultado: apenas empatou com o Boa Esporte pelo placar mínimo. Verdade que esteve um pouco mais atuante no primeiro tempo e sumiu no segundo.

O que se viu foi um time todo desarrumado em campo, sem criação e inspiração. De treinador interino, voltou com o Vitor no gol que se tornou o melhor em campo, principalmente pelas boas e arrojadas defesas praticadas no segundo tempo. Foi um jogo ruim, mais um e o resultado ainda deixou o time fora da zona de classificação faltando quatro rodadas para o fim.

Fábio salva o Cruzeiro que conta com assistência de Marcelo Moreno para garantir a vitória

Jogadores do Cruzeiro comemoram gol que deu a vitória ao time celeste (Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press

O final de semana foi duro dentro de campo, um domingo de um mau futebol apresentado pelos “grandes” de Minas Gerais. O Cruzeiro enfrentou o Uberlândia, no Mineirão, contando com a reestreia de Marcelo Moreno.

Que por sinal foi bem na partida. Não marcou mas participou de jogadas, deu o passe para o primeiro gol cruzeirense e fez mexer com a esperança do torcedor azul para dias melhores e um sucesso no difícil ano.

No mais o Cruzeiro se mostrou um time improdutivo, sendo facilmente dominado pelo adversário que fez um jogo quase equilibrado e se aproveitou em alguns momentos da instabilidade emocional da garotada.

Ganhou o jogo no final na raça e vontade e contando com o super Fábio que no apagar das luzes conseguiu fazer uma defesa em penalidade máxima. E assim garantiu o coro do torcedor como o melhor goleiro do Brasil.

Próximos embates

O Cruzeiro no meio de semana enfrenta o Boa em Varginha pela Copa do Brasil. Tem que vencer para continuar na disputa. Em caso de empate tem penalidades.

Adilson Batista, treinador do time celeste, já viu o que aconteceu com o rival e certamente não vai querer perder a oportunidade de ganhar R$ 1,5 milhão e seguir vivo nesta importante competição.

No sábado tem o primeiro clássico do ano com o Atlético. No momento, ambos não têm o que comemorar. O jogo vai ser no Mineirão e o mando é do Galo. Pela situação de tabela os dois times precisam vencer, pela respectivas campanhas nada eficientes.

Já o América do técnico Lisca vem sobrando neste início da competição mineira. Abre vantagem na primeira colocação e vem conquistando vitórias convincentes. Tem passado pelos adversários do interior com méritos e caminhando para na semifinal ter a vantagem de jogar por resultados iguais.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário