Amor por transferência

WhatsApp Pinterest LinkedIn +
 Carlos Drummond de Andrade

Pedro amava Maria que amava João que amava Isabel que amava Joaquim que amava Tonina que amava Marcelo que amava Gerusa que não amava ninguém. Pedro foi para a guerra, conquistou uma chinesa, tomou uma praça em Salerno, lutou na linha Gustav, irritou-se numa rua francesa, bebeu vinho em Marselha, cuspiu no prato, teve malária, foi ferido dez vezes, quase morreu de um ferimento, mas a penicilina salvou-o.

A chinesa lhe deu filhos, alguns estão morrendo de fome, mas Pedro casou-se novamente e não conseguiu felicidade. Tem quase trinta anos agora e ainda pensa em Maria que amava João que amava Isabel que amava Joaquim que amava Tonina que amava Marcelo que amava Gerusa que não amava ninguém. Gerusa foi, a mais feliz de todos porque não amava ninguém, mas será isso felicidade?

Maria era pobre, amava João que era rico, Pedro que a amava era pobre, por isso ela não queria Pedro, queria era João que, como já disse, era rico. Tinha mania de grandeza e isso é um mal que aflige muita gente.

E, no entanto, já Pedro poderia oferecer-lhe muito mais do que ela tinha. Era filha de lavadeira e, muito embora frequentasse bons colégios e não trabalhasse quase, se vestindo bem além de tudo, e tendo boas amizades, que futuro poderia ter uma filha de lavadeira? Quando a mãe morreu, e tal sucedeu em breve, que lhe aconteceria?

Aconteceu que ela veio a conhecer Joaquim que amava Tonina que amava Marcelo que amava Gerusa que não amava ninguém. Sem saber que seu amado João amava Isabel e que Isabel amava Joaquim, ela conheceu Joaquim numa festa de caridade e Joaquim, por sua vez, sem saber que ela pertencia a uma cadeia de amores, da qual ele fazia parte, montou-lhe um belo apartamento “duplex”, bem feito para ela que podia ter aceitado a corte de Pedro.

João morreu misteriosamente em dia frio depois de ter comido umas empadas de camarão num bar da cidade. Maria chorou muito. Joaquim dois anos depois desprezou Maria que se suicidou deixando um bilhete a Pedro pedindo-lhe perdão por não ter aceito seu amor.

Isabel chegou a ser rainha da Espanha e enviou Colombo para descobrir a América. Tonina conseguiu chegar a Hollywood, representou num filme realizado na Suíça, nem sequer soube que Joaquim a amava. Marcelo por sua vez não sabia que ela o amava, ou melhor, sabia, mas não que fosse tão grande o amor que ela tinha por ele, a ponto de desprezar tudo o mais e querer mesmo abandonar a carreira cinematográfica para ficar junto de si.

No final nenhum conseguiu nada. Gerusa tinha também seus tédios e preferia ser desgraçada amando do que ser feliz sem amor. Sabia-se amada por Marcelo mas não correspondia. Marcelo por sua vez amado por Tonina amada por Joaquim amado por Isabel amada por João que morreu misteriosamente em dia frio.

E foram todos infelizes com essa coisa de complicar tudo. Mas foram vivendo até que estourou a bomba atômica e então os macacos que estavam esperando na floresta voltaram e tomaram de novo o que lhes pertencia.

FIM

[O Pifa-Paf, 21/9/1946, editor: Millôr Fernandes. Hemeroteca da ABI/Rio]

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário