Além de reativar a área de Esportes e Lazer, Marco Antônio diz que vai criar a Secretaria de Cultura e Turismo

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Já no início de sua gestão, o prefeito eleito Marco Antônio Lage (PSB) disse que vai criar a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secut), assim como irá reativar a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude (SMELJ), ambas compromissos de campanha.

Marco Antônio Lage, prefeito eleito de Itabira: “Itabira precisa respirar a poesia de Drummond, mas também conhecer outros ilustres itabiranos.” No destaque, Guarda de  Marujos Nossa Senhora do Rosário (Fotos: Divulgação/FCCDA/PMI)

Segundo ele, a gestão e promoção do legado da obra drummondiana seguirá com a Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade (FCCDA), com o atributo de cuidar bem e melhor equipar os espaços já existentes na Casa de Drummond, Fazenda do Pontal, Memorial Drummond, a biblioteca Luís Camillo de Oliveira Netto, o teatro do Centro Cultural.

“Terá a incumbência de gerir bem toda a plataforma drummondiana de maneira mais assertiva, tendo o poeta e a sua obra como maiores legados, para que Itabira respire a sua poesia nas escolas e em todos os espaços, sempre respeitando os direitos autorais. Tendo esse objetivo bem definido e trabalhado, o resultado certamente vai refletir também fora da cidade, atraindo turistas e estudiosos de sua obra,”, é o que defende o prefeito eleito.

Já a Secut , explica, cuidará da política cultural com uma visão mais ampla do fazer artístico, em todos os aspectos de suas manifestações no município. E que possa trazer para a cidade e aos distritos de Carmo e Ipoema o que há de bom culturalmente acontecendo no país, e no mundo, para o enriquecimento e desenvolvimento das artes entre os itabiranos em todas as suas formas de manifestações.

Outros legados

Elke Maravilha com a turma de O Cometa, no Rio, em 1981 (Foto: Humberto Martins)

Para o prefeito eleito, a cultura deve ser desenvolvida juntamente com a economia criativa, para que possam gerar oportunidades de emprego e renda. “Turismo, cultura e Drummond apresentam uma transversalidade importante que precisa ser melhor explorada”, defende.

“Devemos pensar a cultura 360 graus no município, como o legado afro que precisa ser mais valorizado. Somos uma sociedade com 57% de nossa população negra. Temos as tradições quilombolas que podem ser melhor trabalhadas, assim como podemos criar o Museu da Escravatura, além do resgate da cultura gastronômica”, enfatiza o prefeito eleito.

Outros equipamentos culturais devem ser criados, como o Instituto Elke Maravilha, propõe o novo prefeito. A ideia, explica, é trazer para Itabira o acervo dessa grande artista que viveu parte de sua juventude em Itabira. “Pode ser mais um atrativo cultural e artístico do município a se juntar aos demais equipamentos com apelos turísticos já existentes e que podem ser aperfeiçoados.”

Luís Camilo é um dos itabiranos ilustres que Marco Antônio pretende tornar mais conhecido em Itabira (Foto: acervo Biblioteca Nacional, Rio)

Elke Maravilha morou na fazenda do Cubango, no distrito de Ipoema. Na adolescência vinha a Itabira visitar a amiga Myriam de Souza Brandão, falecida recentemente – e que foi por muitos anos superintendente de Cultura de Itabira, tendo sido uma das mentoras da construção teatro do centro cultural. “Elke dizia, com orgulho, que era ipoemense”, conta o seu conterrâneo Marco Antônio Lage. Leia mais aqui.

Personalidades

Outros legados culturais que Marco Antônio Lage espera resgatar em sua gestão são os escritores e personagens itabiranos. “São personalidades importantes de nossa história que Minas e o Brasil reconhecem, mas que em Itabira andam esquecidos.”

O senhor embaixador Antônio Camilo (Foto: acervo ALMG)

Como exemplos, Marco Antônio Lage cita o embaixador Antônio Camilo de Oliveira, o historiador João Camilo de Oliveira Tôrres, Luís Camillo de Oliveira Netto, o psiquiatra Clóvis Alvim, o escritor Cornélio Pena, que não é itabirano mas que viveu e se encantou com a cidade antes de o Cauê virar cratera.

E sem se esquecer de Batistinha, além de personagens drummondianos como Alfredo Duval, Antonio Alves de Araújo, o Tutu Caramujo, ex-presidente da Câmara e prefeito de Itabira (1869/72), imortalizado no poema “Itabira”. “Reconhecendo esses personagens, e suas grandezas, aumentamos também a autoestima do itabirano”, defende.

“A Secut terá também o papel de incentivar a musicalidade, que é forte em Itabira, assim como as artes plásticas, o teatro”, diz o prefeito eleito. “E será conectada com a fundação cultural e com a educação.

“Queremos que toda essa efervescência cultural chegue às escolas como transversalidade importante, oferecendo oficinas e diferentes formas do fazer artístico, que podem ser produzidas por artistas itabiranos”, adianta o próximo prefeito de Itabira, a ser empossado em 1º de janeiro.

Formação de novos atletas pode facilitar volta do Valério ao futebol profissional, diz prefeito eleito

Reocupar o estádio Israel Pinheiro com o itabirano torcendo pelo Valério de volta ao campeonato Mineiro é meta de Marco Antônio Lage (Foto: acervo Trem das Gerais)

Para a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude, a ser recriada, Marco Antônio Lage também atribui papel importante na formação do jovem itabirano. “Queremos ver as nossas crianças e a juventude praticando esportes em toda cidade”, diz Marco Antônio, que promete incentivar o futebol amador e o esporte especializado feminino e masculino.

De acordo com ele, Itabira dispõe de várias estruturas esportivas. “São mais de 30 campos de futebol e 38 quadras públicas que estão subutilizadas”, contabiliza.

Ginásio esportivo da EEMZA: incentivo ao esporte especializado

“Vamos revitalizar tudo isso para que os itabiranos ocupem esses espaços para diversão e desenvolvimento de novos atletas”, é a aposta que faz o prefeito eleito, inclusive para a formação de jogadores profissionais para o Valério.

“É o que torcemos e iremos empenhar. Com o incentivo ao futebol amador e ao futsal, o Valério não terá que investir no sub-15, pois terá à disposição jovens atletas formados nas quadras e nos campos espalhados pela cidade”, é o que ele diz acreditar – e torce para que aconteça, culminando, inclusive, com a volta do Valério ao campeonato Mineiro, depois de passar pelas divisões de acesso.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Recriar a secretaria de esportes e a secretaria de cultura, são ótimas ideias. Fechar secretarias não diminui gastos de forma significativa. Os funcionários de carreira continuam lá. Muitas vezes sem uma administração adequada.

Deixe um comentário