Ainda sem reação, Cruzeiro mostra força e organização contra o Flamengo, mas falha na defesa e na hora da definição                  

0
Compartilhe.

Luiz Linhares*

O Cruzeiro propiciou mais um final de semana indigesto para a sua torcida. Com a derrota para o Flamengo, e com a vitória do CSA das Alagoas em casa na rodada, o time celeste cai uma posição a mais na tábua de classificação.

Se servir de consolo, a minha opinião formada é a de que o time teve o melhor rendimento sob o comando de Rogério Ceni nesta última partida contra o líder Flamengo.

É notório o favoritismo atual do rubro negro carioca, que tem demonstrado muita qualidade na criação e na definição das jogadas. Verdade também que o Flamengo não pode ser considerado um super time, mas sabe muito bem o que quer, além de ter peças de muita qualidade.

E o que é mais importante quando se observa a predominância de times retranqueiros: joga buscando o gol. O Flamengo atual, nada imbatível, atravessa um bom momento e faz dele boas partidas, que são resultados da eficiência ao atacar.

Mas mesmo assim o Cruzeiro foi valente na partida. Encarou a força de seu adversário e só não foi bem por ter falhado no ataque e vacilado defensivamente, colaborando com a criação das jogadas adversárias. São erros que confrontam a força da estabilidade e deixam a reação bem mais difícil.

No entanto, no sábado (21) senti mais confiança no time celeste. Isso mesmo jogando com zaga reserva. Mostrou um bom posicionamento em campo e muita força de destruição. Foi valente e guerreiro.

Mas falta ao time mais brilhantismo na criação do ataque, que tem falhado na hora da definição.Falta também mais clareza nas jogadas, talvez até uma maior confiança.

Tenho a impressão de que o pior já passou para o Cruzeiro. O time enfrentou equipes de ponta de forma imediata e seguida. Daqui para frente vem uma sequência de jogos importantes, mas com adversários intermediários. Serão bons momentos para o time azul se impor e fazer a construção com a força de time grande que almeja algo.

Galo tem semana decisiva na Sul-Americana e também para não perder mais posições no Brasileirão 

Chará fez o gol do Atlético que perde de virada na Argentina (Foto: Marcelo Manera/AFP). No destaque, Flamengo e Cruzeiro (Foto: Lance!)

Pelo lado do Atlético, a situação também é nada boa. A sequência de derrotas já deixa, com razão, o torcedor impaciente. Foram cinco derrotas consecutivas no campeonato Brasileiro, além da derrota na Argentina na primeira partida da semifinal Sul-Americana.

Desse modo, a confiança no treinador Rodrigo Santana fica abalada. A necessidade de reação é imediata, antes que a situação fique mais complicada.

Escrevo esta coluna poucas horas do jogo inicial do returno do Brasileiro, quando o Galo enfrenta, nesta segunda-feira (23), em Florianópolis, o Avaí. A necessidade de vitória é premente contra um adversário que corre para fugir do pior: o time catarinense é o ultimo colocado na tabela.

Nessas condições, não se pode aceitar perder pontos. O Galo vive o dilema da necessidade de vitória e também precisa se preservar para a quinta-feira desta mesma semana, quando, no Mineirão, recebe o Colón da Argentina com a obrigação de vencer para chegar à final da Sul-Americana.

Na tabela do Brasileirão já caiu para a décima posição. E vencer a qualquer custo é sem dúvida um desejo. É difícil situação do treinador que passa pela primeira grande prova de fogo como técnico efetivado. Sabe-se que qualquer tropeço, seja no Brasileirão ou na Sul-Amercana com uma não conquista da vaga para a final, farão estragos na estrutura do clube e do departamento de futebol.

Somente a vitória com somas de pontos serão bem-vindos. É assim que o time terá a confiança do grupo de volta, que tem sido abalada com a queda individual de produção de muitos jogadores.

Para mudar esse quadro, só a vitória com soma de pontos é capaz. O fato é que a confiança do grupo vem sendo novamente abalada e não dá para esperar por milagres. O grupo por inteiro tem que demonstrar vontade e aplicação para que os gols e as vitórias possam trazer de vota a alegria do torcedor atleticano.

Não dá para contar com milagres. Pela posição inicial do Atlético entre os cinco melhores do campeonato Brasileiro, isso iludiu seu torcedor. Sabe-se desde o início da competição que o grupo é limitado. Faltam peças de reposição para manter o ritmo em alta qualidade> Mas é o que se tem para o momento, verdade seja dita.

Acredito que o Atlético possa ser mais ousado, apostando todas as suas fichas para garantir vaga na final da Sul-Americana. Afinal, se sagrar campeão nessa competição, terá vaga garantida na Libertadores das Américas.

E dará folego e disposição para ser ter um melhor posicionamento no Brasileirão. A hora é agora. Não há porque vacilar, para não se complicar irremediavelmente.

América reage e o torcedor já sonha com a volta à elite do futebol brasileiro

América soma 11 jogos sem derrota e sonha com a volta à elite do Brasileirão (Foto: Divulgação)

Já o América vem fazendo bonito na série B do Campeonato Brasileiro. Completou onze jogos sem derrota. Com isso, já ocupa o meio da tabela e vai partir com moral para figurar entre os quatro primeiros colocados na competição, condição para voltar a figurar na elite do futebol brasileiro.

O Coelho se arrumou defensivamente, cria mais e faz gols. Tem agradado dentro e fora de casa. Está a quatro pontos do quarto colocado.

Deixaram o América sonhar… Daqui pra frente tudo pode acontecer.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM

Sobre o Autor

Deixe um comentário