A pergunta que não quer calar: quem mandou matar Marielle

0
Compartilhe.

Rafael Jasovich*

A um dia do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes completar um ano, ativistas, a sociedade e lideranças políticas questionam: quais são as identidades dos mandantes do bárbaro crime?

O que motivou os assassinos, ou o grupo, a abater Marielle naquela noite de 14 de março de 2018? A prisão de dois policiais na manhã dessa terça-feira (12), suspeitos de terem matado a vereadora, pode ser o início do desfecho de trama que segue sem várias respostas até o momento.

O ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, que dirigia o automóvel usado para o assassinato de Marielle Franco em 14 de março de 2018, ostenta em seu perfil no Facebook uma foto ao lado de Jair Bolsonaro.

Na foto, o rosto de Bolsonaro está cortado, os dois aparecem sorrindo. Ela foi postada depois do assassinato, em 4 de agosto último.

Quanto ao policial militar reformado Ronnie Lessa, de 48 anos, apontado como o autor dos 13 disparos que mataram Marielle e Anderson, mora no mesmo condomínio de Bolsonaro.

Repercussão nacional 

Os suspeitos presos acusados de matar a vereadora Marielle Franco (foto e arte: GI). Na foto em destaque, a vereadora assassinada (Foto: Mídia Ninja)

A viúva de Marielle, Monica Benicio, afirma: “Parabéns às promotoras, e a todos os envolvidos. Espero poder ter acesso aos detalhes para que sinta segurança nesse resultado. Mas ainda falta a resposta mais urgente e necessária de todas: QUEM MANDOU MATAR Marielle? Espero não ter que aguardar mais um ano para saber”.

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), do mesmo partido que militava Marielle, postou em suas redes sociais: “o assassinato de uma vereadora é um crime político. Por isso é fundamental sabermos qual grupo político é capaz de, em pleno século XXI, mandar eliminar uma autoridade pública que tenha cruzado seu caminho. Precisamos descobrir quem são os mandantes da execução de Marielle Franco”.

As prisões dos executores de Marielle e Anderson são importantes e tardias. É inaceitável que se demore um ano para termos alguma resposta. É um passo decisivo, mas o caso não está resolvido. É fundamental saber quem mandou matar e qual foi a motivação.

O PM Ronnie Lessa, preso acusado de matar Marielle, é conhecido por ser exímio atirador e por sua frieza. O policial chegou a ser homem de confiança do contraventor Rogério Andrade, mas perdeu posto após atentado que matou filho do bicheiro.

A notícia é sem dúvida muito importante, embora, venha quase um ano depois da morte de Marielle e Anderson. Esperamos que a prisão dos suspeitos traga a resposta que a sociedade brasileira aguarda: quem mandou matar Marielle?

*Rafael Jasovich é jornalista e advogado, membro da Anistia Internacional

 

Sobre o Autor

Deixe um comentário