“A pedido”, Bolsonaro remove senador do “dinheiro na cueca” da vice-liderança do governo

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Apenas um dia antes, Bolsonaro havia prometido “voadora no pescoço” de pessoas ligadas ao governo que fossem associadas a casos de corrupção

Jornal GGN – Apenas um dia após prometer “voadora no pescoço” de lideranças ligadas ao governo que fossem associadas a suspeitas de corrupção, Jair Bolsonaro (sem partido) exonerou “a pedido” o senador Chico Rodrigues, do DEM de Roraima, da vice-liderança do governo.

Escolhido pessoalmente por Bolsonaro para representar seus interesses no Congresso, Rodrigues foi flagrado numa operação da Polícia Federal com dinheiro entre as nádegas.

O escândalo repercutiu na noite de quarta (14), mas a remoção do senador da representação do governo só foi publicada na tarde desta quinta (15), com a observação: atendendo “a pedido”.

Mais cedo, Bolsonaro foi abordado por seguidores e tangenciou as acusações que pesam contra o senador, fisgado em operação sobre desvio de recursos de emenda parlamentar para o combate à Covid-19.

Apesar de prometer pulso firme contra denúncias de corrupção, Bolsonaro jogou panos quentes na operação que atingiu o aliado. O presidente fez questão de ressalvar que as suspeitas não teriam ligação com o Executivo.

Mais cedo, internautas resgataram um vídeo em que Bolsonaro afirma ter “quase uma união estável” com Rodrigues, de quem é amigo há 20 anos.

O senador foi quem acolheu em seu gabinete o assessor Léo Índio, primo e amigo íntimo dos filhos de Bolsonaro. Rodrigues também foi entusiasta da indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada norte-americana.

A investigação envolvendo Rodrigues corre em segredo de Justiça. O relator é Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal.

Foto: Agência Brasil

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário