Pitacos da rodada esportiva

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

 

Luiz Linhares*

Com a cabeça só na Copa Brasil

Estive ontem no Mineirão e já tenho a clara certeza que só se pensa, só se fala, se respira e se sonha com o dia 27 próximo, data para a decisão da Copa do Brasil. Uma expectativa e ansiedade sem tamanho para algo que se tornou imprescindível, necessário. Tem-se a impressão de que a não conquista pode determinar o fim de algo. Mudanças estruturais, para o melhor alinhamento do torcedor, já se tem visão ao longo do estádio. Chapas de alumínio, acredito, irão fazer o papel de separação das torcidas adversárias – um protótipo de murro de Berlim, resguardando as proporções, mesmo sabendo que se trata de cruzeirenses e flamenguistas, de parceiros amigos. Nos bastidores do jogo, sabe-se que o Cruzeiro já tem a grana na mão, com os ingressos esgotados, em todos os setores. Quem vai acompanhar in loco já sabe, quem não conseguiu resta o assento do sofá e boa sorte. Eu vejo o Cruzeiro focado, forte e com muitas chances de se tornar tetracampeão da Copa do Brasil.

Partida com o Bahia foi com muita pegada (Fotos: Felipe Oliveira, no destaque e O Globo)Contra o Bahia, o Cruzeiro não foi brilhante e nem mesmo totalmente apagado, manteve seu treinador um time forte, titular praticamente, mas com muitas dificuldades para romper com a retranca adversária, que esteve para inibir as ações do Cruzeiro e jogar por aquela bola como é tradicional em equipes medianas. Foi um primeiro tempo sonolento e sem brilho. Só na etapa complementar o jogo esquentou logo no início, quando o Cruzeiro teve uma penalidade máxima perdida por Tiago Neves, bem defendida pelo goleiro baiano. A partir daí, cresceu a vontade de vencer, o jogo se tornou mais franco e com a cabeça de Leo veio a vitória merecida. E, com ela, o retorno para o grupo dos seis melhores, este por sinal, lugar de destaque para a equipe azul que aos poucos vai encostando em Santos, Flamengo, Grêmio, podendo sim, brigar na sequencia por algo bem melhor neste Brasileiro.

Mais uma derrapagem na recuperação

O Atlético continua deixando de cabelo em pé os seus torcedores. Ontem foi em Florianópolis, contra o Avaí. A equipe alvinegra até que está que está tendo bom rendimento no returno do Brasileirão, apenas números, é verdade. O que se viu no jogo de ontem foi um Atlético dominando o jogo com a posse de bola e erros de passes constantes, aquele domínio irritante, onde se espera o melhor da produção e nada acontece. Erros crônicos, herdados do Roger Machado persistem com o Micale. Cria-se muito, tem participação ativa no jogo, mas um passe de qualidade e mesmo uma finalização perfeita já é pedir demais. Empatar com o Avaí, na situação atual, é um péssimo negócio, principalmente quando o desenho traduzia a possibilidade real de uma grande vitória, está alavancando uma reação positiva. Ficou apenas na vontade.

Galo toque de bola refinado, mas falta objetividade (Foto: Jamira Furlani/Divulgação)

Mas o assunto do momento no Atlético é a decisão ou não por parte de seus mais de trezentos conselheiros da aprovação do Plano de Negócios para a construção do tão sonhado estádio próprio do Galo, em área no bairro Califórnia, em Belo Horizonte, numa junção de negócios com a MRV Construtora. O que se tem demonstrado nos últimos dias é que algo grandioso irá acontecer, surgindo uma Arena multiúso moderna, eficiente e lucrativa. Alguns contestam a venda de parte do shopping, outros nem tanto. Resta saber qual será o resultado final.

Confronto direto

Nesta terça-feira, o América tem uma parada direta no embate para retornar à divisão principal do futebol brasileiro. Pega o Vila de Goiás, terceiro colocado, no Independência. Trata-se de um confronto direto e vencer é a meta. No último compromisso, o Coelho foi a Fortaleza e beliscou um pontinho em cima do Ceará. Perdeu a liderança, é verdade, com a vitória do Inter, por ter uma vitória a menos. Entretanto, o mais importante é permanecer entre os quatro melhores e assim seguir na risca com o planejado. É para subir, Coelho.

Série C

Tupi, de Juiz de Fora, e Tombense, de Tombos, ambos da Zona da Mata mineira estão nas quartas de final da série C do Brasileiro. Em jogos de ida e de volta, lutam para ganhar direito de nos representar ano que vem na segunda divisão, a série B. Torço para que tudo aconteça positivamente. O Tupi perdeu para o Fortaleza na capital cearense e tem que vencer por três de diferença em casa para subir. Já o Tombense vai ter que brilhar em Maceió (AL) contra o CSA, o time das letrinhas.

Libertadores

Botafogo ou Grêmio, um só passará (Foto: O Globo)

Um brasileiro dá adeus neste meio de semana no sonho da Libertadores. Botafogo e Grêmio se enfrentam em Porto Alegre (RS). No primeiro duelo, o placar passou em branco. Acho que o Grêmio joga todo o ano nesta disputa. E o mesmo, claro, faz o time da estrela solitária. Certo é que quem passar, acredito que irá nos representar muito bem, juntamente com o Santos que tem tudo para vencer os colombianos do Barcelona na Vila Belmiro e seguir em frente.

Cifra é o que importa

Aconteceu na semana passada no Mineirão um show sertanejo, comemorativo do aniversário do Mineirão. O promotor do evento divulgou o resultado final: lucro de seis milhões de reais.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da Rádio Itabira-AM

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário