Ode à alopatia

5
Compartilhe.

Marina Procópio de Oliveira*

 

Para bronquite, Seretide.

Pro seu nariz, Avamys.

Se é insônia, Rivotril.

Tá ansioso, tome Olcadil.

Enjôo vai bem com Plasil.

 

Dói a cabeça? Melhoral.

São só gases? Luftal.

 

Pressão infiel? Tome Aprovel.

 

Precisou de cirurgia? Inventaram a anestesia.

E quem diria, tem remédio até para esquizofrenia: acetato de zuclopentixol.

Mas, se desse aparente estrago resultar dor de estômago: tome esomeprazol.

 

No combate à inflamação: nimesulida;

só não resolve dor nas costas, pro que não inventaram saída.

Pelo menos tem Lexapro, pra você não ficar deprimida.

 

E para a morte, essa mofina, a escolha é sempre morfina.

 

*Marina Procópio de Oliveira é itabirana, mora em Belo Horizonte

  • Ilustração: Darhit Rurowala

 

Sobre o Autor

5 Comentários

  1. B. de Shaw da Silva em

    como dizia o professor e farmacólogo Elias Murad, crítico do uso indiscriminado de medicamentos e sem o devido estudo científico de seus efeitos colaterais:

    – “Tomei Doril. Meu rim sumiu

  2. Marina vc é surpreendente.
    Poema maravilhoso, este país é de hipocondríacos, cada esquina tem 2 farmácias. E o povo fica mais doente da cabeça.

Deixe um comentário